Desenvolvedoras reagem à chegada do Xbox One sem Kinect

Desenvolvedoras reagem à chegada do Xbox One sem Kinect

Último Vídeo

Embora muitos jogadores tenham visto o anúncio do Xbox One sem Kinect — e sua consequente queda de preço — como uma excelente notícia, a verdade é que nem todo mundo ficou tão satisfeito assim com a novidade. E, como era de se esperar, as desenvolvedoras que trabalhavam em títulos voltados para o acessório foram os que menos gostaram da notícia.

A Zoë Mode, responsável pela série Zumba Fitness, foi uma delas. Em entrevista ao site Develop, o chefe do estúdio comentou um pouco sobre o assunto e teceu algumas críticas à posição tomada pela Microsoft. Segundo Paul Mottram, colocar o sensor em segundo plano é matar de uma vez por todas as chances de alguém fazer um game original para o Kinect, limitando-o mais uma vez a jogos licenciados ou de dança — como aconteceu na geração passada.

Mottram diz entender as razões que levaram a companhia a tomar essa decisão e sabe que não deve ter sido fácil para os executivos, mas também sente muito por todos aqueles que estavam desenvolvendo games voltados para o acessório, pois sabe que a Microsoft “puxou o tapete” de todo mundo. Segundo ele, dificilmente os investimentos feitos em seus respectivos títulos vai ter o retorno esperado agora que o Kinect passou a ser uma peça dispensável.

O chefe do estúdio ressalta ainda que, apesar da necessidade do Xbox One de se tornar mais competitivo em termos de preço com o PlayStation 4, o Kinect era seu maior diferencial e que, mesmo não sendo perfeito, ele era o que tornava a plataforma única.

Por fim, Mottram afirma que deposita suas esperanças nas produtoras independentes, que podem aproveitar as vantagens do programa ID@Xbox para trazer algum game que realmente faça uso do sensor de movimentos de maneira mais significativa, fazendo aquilo que muita produtora grande gostaria, mas não encontrando o apoio necessário.

Harmonix entra na dança

E se o chefe da Zoë Mode foi mais tranquilo em suas declarações, alguns membros da Harmonix foram um pouco mais ácidos. Isso porque o estúdio está trabalhando no primeiro game AAA exclusivo do Kinect. E o que os criadores de Fantasia: Music Evolved acharam disso tudo?

Tão logo a Microsoft oficializou o anúncio, alguns membros da equipe partiram para o Twitter com comentários sarcásticos, principalmente agradecendo a companhia pelo “apoio”. Afinal, depois de carregar o primeiro Kinect praticamente sozinhos com a série Dance Central, deve ser muito animador levar essa facada nas costas.

Ainda assim, a Harmonix emitiu uma nota comentando o assunto. O estúdio diz estar empolgado com a possibilidade de os consumidores terem mais opções de escolha e que, como produtores de conteúdo, isso não afeta sua estratégia de mercado. Na verdade, segundo a carta, o episódio serviu apenas para reforçar o posicionamento da companhia de continuar apostando em inovação e experiências baseadas em movimento — algo que eles acreditam ser um motivo bom o suficiente para que as pessoas comprem seus jogos.

Tanto que um dos funcionários da companhia ressurgiu no Twitter para comentar exatamente sobre isso. Segundo Nick Chester, os desenvolvedores terão de se esforçar ainda mais em termos de inovação e criação de algo sólido para se diferenciar. Isso significa que, apesar do impacto inicial causado pelo anúncio, a chegada de um Xbox One sem Kinect vai fazer com que as empresas que realmente querem trabalhar com o periférico deem o melhor de si para fazer algo excepcional.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.