Destiny 2: confira 7 novidades sobre o novo sci-fi épico da Bungie

Destiny 2: confira 7 novidades sobre o novo sci-fi épico da Bungie

Último Vídeo

Depois de muita expectativa, a Bungie revelou na última quinta-feira (18) os primeiros vídeos oficiais do gameplay de Destiny 2. Sequência do popular jogo de tiro online lançado em 2014, a aventura contará com o retorno dos personagens do título atual - incluindo o seu guardião -, uma história mais linear e coesa, dezenas de armas e armaduras e mais exploração em novos locais do Sistema Solar.

Antigos rumores diziam que o game estava originalmente previsto para setembro do ano passado, mas a desenvolvedora optou por lançar a expansão Ascenção de Ferro naquele mês. Esse tempo extra serviu não apenas para o estúdio ampliar as possibilidades de narrativa e gameplay, mas também para trazer o gigantesco universo do jogo para os usuários de PC. Com isso, Destiny 2 já pode ser considerado um dos maiores lançamentos do segundo semestre.

Para quem ainda não sabe o que mudará quando o título chegar às lojas no dia 8 de setembro, listamos as mudanças mais importantes anunciadas pela Bungie. Veja abaixo.

1. O game tem uma história

Uma das falhas do primeiro Destiny é que não há uma linha linear do que está acontecendo no jogo. E pior: os fatos que antecedem o despertar do seu guardião são apenas citados, e não mostrados, o que fez o game ficar ainda mais confuso caso você não leia as chamadas Cartas de Grimório, que incluem todo o lore do título.

Resumindo a história: Destiny e sua sequência se passam algumas centenas de anos no futuro após a eclosão de um evento conhecido como O Colapso. Foi nesse período que se encerrou a Era de Ouro da humanidade, em que as descobertas científicas, literárias e industriais alcançaram seu auge tempo depois da aparição do Viajante, a misteriosa estrutura alienígena vista pela primeira vez em Marte. O Colapso marcou a chegada de raças hostis ao nosso sistema - Vex, Cabais, Decaídos e Colmeia, todas estas com o objetivo de destruir o Viajante, que passou a ser protegido por guardiões munidos de sua Luz.

Os últimos guardiões sobreviventes construíram A Última Cidade, o único lugar na Terra seguro dessas ameaças e protegido pela Vanguarda, a facção que comanda as operações na Torre. Destiny 2 começa com um ataque à Cidade conduzido pela Legião Vermelha, uma força de elite dos Cabais liderada pelo vilão Lorde Ghaul. Os inimigos conseguem realizar o ataque com sucesso, destruindo a Torre e prendendo o Viajante dentro de um dispositivo que bloqueia a conexão dos guardiões com a Luz.

Todo o ataque acontece em "Homecoming", a primeira missão do jogo exibida durante o streaming da Bungie. A partir daí, os guardiões precisam recuperar seus poderes na tentativa de enfrentar Ghaul e seu exército, o que nos leva para o próximo item.

2. Novos locais

Sem a Luz como fonte de suas habilidades, os guardiões terão de viajar para outros planetas para encontrar formas de combater os Cabais e salvar o pouco que restou da humanidade. No lançamento de Destiny 2, serão quatro os destinos principais para se visitar:

  • Zona Morta Europeia - inicialmente planejada para sair no primeiro Destiny, esta é a maior área já criada pela Bungie, tendo duas vezes o tamanho de qualquer localidade disponível no game atual. É aqui que boa parte dos sobreviventes do ataque na Última Cidade vão se reunir em um novo espaço social na Terra, substituindo o papel da Torre. Além disso, o local conta com uma enorme floresta e uma base da Legião Vermelha;

  • Titã - maior lua de Saturno (planeta onde ocorreu a maior parte dos eventos de O Rei dos Possuídos), Titã era um dos locais mais proeminentes durante a Era de Ouro. Um detalhe interessante é que não há superfícies ou pedaços de terra em toda a estrutura da lua, formada por imensos oceanos; existem apenas plataformas que antes serviam como base de exploração. O Comandante Zavala, o titã que é um dos líderes da Vanguarda, estará lá;

  • Nessus - é um pequeno planeta localizado entre Urano e Netuno. Assim como Mercúrio, o planetoide foi inteiro transformado pelos Vex. Mas diferente do nosso vizinho mais próximo do Sol, o local ainda mantém sua vegetação, que se mistura a enormes penhascos e cavernas com estruturas Vex. Cayde-6, o robô exo que atua como mentor dos caçadores na Vanguarda, poderá ser encontrado lá;

  • Io - uma das luas de Júpiter, Io é o último lugar do nosso Sistema Solar que foi tocado pelo Viajante antes do Colapso. O satélite é sagrado para os arcanos e, por isso, Ikora Rey (mentora dos arcanos na Vanguarda) estará lá para investigar a presença de raças inimigas.

3. Gameplay atualizado

No geral, o gameplay de Destiny 2 mantém as principais mecânicas do jogo original, e deve ser bem familiar aos veteranos da série. As mudanças mais significativas ficam no sistema de armas/armaduras e na árvore de habilidades dos guardiões.

Como já anunciado pela Bungie, todas as armas e armaduras que você conquistou em Destiny não poderão ser transferidas para a sequência. No que diz respeito às armas, em vez de serem separadas como primárias, especiais (secundárias) e pesadas, elas agora foram divididas três grupos: cinéticas, que equivalem às primárias sem dano; de energia, que inclui toda arma do tipo primária, mas com dano elemental; e de poder, que reúne armas especiais e pesadas em um só bloco.

Quanto aos poderes dos guardiões, as três subclasses (Caçador, Titã e Arcano) do primeiro Destiny retornam, mas com algumas diferenças. As principais características, como os supers (arma dourada, punho do caos, bomba nova etc), permanecem as mesmas; o que muda é que, além da granada e do golpe físico, cada personagem terá uma nova habilidade específica da subclasse. Caçadores, por exemplo, ganham uma esquiva rápida que recarrega as armas automaticamente, enquanto os Titãs podem projetar uma parede para servir de proteção; por fim, os Arcanos criam um escudo que aumenta o dano ou vida temporariamente.

Também foram reveladas três novas subclasses. Sentinel é para os Titãs, e permite ativar um escudo de vácuo ao estilo Capitão América; Arcstrider é para os Caçadores, que ganham uma lança de arco; e Dawnblade para os Arcanos, que ganham uma espada solar.

4. Multiplayer e cooperativo

Pelo o que foi revelado até então, o Crisol, que reúne as modalidades multiplayer do game, é o que mais sofrerá alterações quando Destiny 2 for lançado. Uma delas é que todos os modos PvP - incluindo o disputado Desafios de Osíris - passarão a ser 4x4. Segundo a Bungie, essas e outras adições prometem estimular um ambiente mais competitivo entre os jogadores, que poderão usar mais armas em vez de um único tipo. Só quem jogou o multiplayer de Destiny sabe o quão desiguais eram algumas partidas por conta de times inteiros que usavam apenas granadas ou escopetas.

Outras mudanças no Crisol vão afetar o radar no topo esquerdo da tela, que vai exibir mais informações (se outros oponentes possuem super ou pegaram munição, por exemplo), e as caixas de munição de poder, que agora só irão para o jogador que apertou o botão de coletar.

Além dos modos tradicionais já presentes no Crisol, haverá a inclusão do chamado Countdown, que consiste em defender ou atacar uma estrutura posicionada em algum lugar do mapa; vence quem acumular seis vitórias primeiro. Funciona de um jeito parecido com as partidas de Counter-Strike e o modo "Localizar e Destruir" de Call of Duty, mas em Destiny 2 os jogadores podem ser revividos.

O cooperativo também apresentará novidades e um foco muito maior na exploração dos ambientes. Fora a campanha principal e os "Assaltos", são duas novas atividades: "Aventuras", descritas pelo estúdio como missões em que o seu guardião precisa cumprir determinados objetivos com diferentes mecânicas; e "Setores Perdidos", que esconde criptas com chefões e recompensas.

Tanto "Aventuras" quanto "Setores Perdidos" podem ser adquiridas por meio dos NPCs do jogo. Os "Eventos Públicos" retornam, agora com metas heróicas para serem completadas. E o melhor: você poderá trocar entre uma atividade e outra sem precisar ir para a Órbita.

Há ainda as Incursões, o evento mais desafiador em Destiny. No entanto, como de costume, a Bungie não divulgou nenhum detalhe - e não o deve fazer até setembro.

5. Suporte a clãs e matchmaking

Clãs são grupos de jogadores que participam juntos das mesmas atividades para ganhar recompensas. Em Destiny, esse recurso sempre foi bastante limitado: você ingressa em um clã e ponto. Basicamente é isso. Não há funções in-game de customização ou configurações.

Na tentativa de tornar os clãs mais atrativos e personalizáveis, Destiny 2 contará com suporte a esses grupos, que poderão se organizar melhor para fazer Assaltos, missões, Incursões e partidas de Crisol. Gamers poderão ingressar em um clã sem a necessidade de acessar o site da Bungie (como acontece hoje), e membros de um mesmo clã ganharão itens especiais ao completar essas e outras atividades.

Paralelo ao suporte a clãs, a Bungie confirmou que Destiny 2 terá um sistema de matchmaking para todos modos de jogo. Ou quase isso: ligada diretamente ao recurso de clãs, a função "Jogos Guiados" (Guided Games) vai permitir que jogadores que estejam sozinhos entrem em clãs para participar das atividades. Do outro lado, gamers dentro de um clã poderão habilitar o esquadrão para receber esses jogadores que estão jogando sozinhos. Apesar de não ser um matchmaking convencional, a adição deve ajudar gamers que têm dificuldade em encontrar pessoas para completar determinadas atividades, especialmente as mais difíceis, como Incursões e Desafios de Osíris.

6. Versão para PC

Destiny 2 marcará a estreia da série nos computadores. Mas não pense que será um simples port dos consoles: de acordo com a Bungie, a versão de PC será como outros títulos de alto orçamento lançados para a plataforma, o que inclui suporte a teclado e mouse e opções de personalização.

No PC, Destiny 2 terá suporte a resolução 4K e não terá trava de fps e, segundo o estúdio, poderá alcançar uma taxa de quadros até cinco vezes maior do que a versão de consoles, em que o game continuará rodando a 30 fps fixos. Contudo, não haverá servidores dedicados; no lugar, o jogo usará o mesmo sistema de conexão peer-to-peer (P2P) do primeiro Destiny.

Também vale lembrar que o título será disponibilizado exclusivamente pela plataforma Battle.net, da Blizzard, e que a chegada do game no PC acontecerá em algum momento após o lançamento no PlayStation 4 e Xbox One.

7. Beta

Apesar do atraso na versão de PC, Destiny 2 terá um período de testes em todas as plataformas antes do jogo chegar aos consoles, em setembro. Até o momento, sabe-se que o beta será restrito aos jogadores que fizerem a pré-venda, já disponível no Brasil através da PSN e Xbox Marketplace, em edições que vão de R$ 200 a R$ 400. Depois, é possível que um beta aberto seja liberado a todos, assim como aconteceu no beta do primeiro Destiny. O conteúdo deve ser o mesmo exibido no evento da semana passada, incluindo a missão "Homecoming", o modo Countdown no Crisol e o Assalto "The Inverted Spire".

Preparado para gastar outras centenas de horas em Destiny 2? Nós também. O título será lançado para PlayStation 4 e Xbox One no dia 8 de setembro. A versão para PC segue sem data.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.