“Destiny continua encaminhado” apesar da demissão de compositor, diz Bungie

“Destiny continua encaminhado” apesar da demissão de compositor, diz Bungie

Último Vídeo

A despeito da tensão causada pela demissão “sem justa causa” do compositor Marty O’Donnell, a Bungie faz questão de frisar: Destiny continua no bom caminho, sem nenhum tipo de alteração de agenda. Em entrevista ao site Eurogamer, o diretor de operações da desenvolvedora, Pete Parsons, garantiu que o jogo está “prestes a ser lançado” e que as composições de O’Donnell estarão presentes.

“Eu tenho certeza de que a comunidade de fãs da Bungie deve estar ansiosa para ouvir as músicas de Marty [O’Donnell], de Mike Salvatori, de C. Paul e de Paul McCartney dentro do título”, disse ele ao referido site. “Isso vai ser emocionante para as pessoas. Será grandioso, uma experiência fantástica.”

De fato, o ex-diretor de áudio trabalhou por muito tempo com o colaborador Mike Salvatori nas músicas de Destiny — assim como, também, com o designer de áudio e compositor C. Paul Johnson. Paul McCartney também foi chamado para colaborar com O’Donnell nos temas do game.

“Não haverá impactos negativos”

Quando questionado pelo site Eurogamer sobre o porquê da demissão de O’Donnell, Parsons limitou-se a um “sem comentários”, afirmando que não pode abordar o assunto. Entretanto, ele garante que o jogo está praticamente completo — reforçando os vários pontos altos que devem tornar o jogo atraente.

“Eu acredito que as pessoas serão transportadas ao universo de Destiny não apenas pelas atividades e pela história, mas também pelas imagens e pelas músicas e sons maravilhosos”, disse o executivo. “Nós temos uma equipe fantástica. Estamos muito próximos do lançamento. Embora ainda exista muito polimento a fazer, incluindo diversos ajustes, uma boa parte já está completa.”

Despedida “amigável”?

A despeito dos comentários oficiais da Bungie sobre a demissão de O’Donnell, ainda há toda uma comunidade de fãs do músico que coça a cabeça tentando entender o que realmente houve. Isso apesar das mensagens oficiais evocarem uma despedida tranquila — conforme colocou o gerente de comunidades da desenvolvedora, David Dague, em uma postagem intitulada “Havia aqueles que diziam que isso jamais aconteceria”.

“Por mais de uma década, Masrty O’Donnell preencheu nossos mundos com sons e trilhas inesquecíveis, deixando uma marca indelével em nossos fãs”, escreveu Dague. “Hoje, como amigos, nós nos despedimos. Nós sabemos que, não importa para onde sua jornada o leve, ele sempre terá um futuro brilhante e cheio de esperança.”

Dague então conclui desejando “boa sorte em seus futuros empreendimentos”. Conforme observou a Eurogamer, entretanto, o discurso oficial amistoso parece conflitar consideravelmente com as declarações do compositor, que se disse “entristecido” pela “demissão sem motivo”.

A demissão de O’Donnell foi anunciada pelo próprio músico em sua conta no Twitter no último dia 15 — a propósito de um evento de mídia organizado pela desenvolvedora no mesmo dia.

O “Compositor de Halo”

Marty O’Donnell se tornou célebre por suas composições para a série Halo, portfólio que fez com que vários fãs esperassem ansiosos por suas criações para o novo Destiny, título que deve inaugurar uma nova franquia durante o próximo mês de setembro. De fato, o game faz parte de um acordo de publicação significativo com a Activision.

Dessa forma, é de se perguntar como, exatamente, a Bungie vai contornar a saída de O’Donnell — tanto em relação às questões técnicas quanto, convenhamos, aquelas mais relacionadas ao impacto moral entre a comunidades de fãs.

Destiny deve chegar às prateleiras no dia 9 de setembro, com lançamentos previstos para PlayStation 3, PlayStation 4, Xbox 360 e Xbox One.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.