Diretor de FFXIV dá bandeira verde para crossplay com Xbox One e Switch

Diretor de FFXIV dá bandeira verde para crossplay com Xbox One e Switch

Último Vídeo

Atualmente, os jogadores de Final Fantasy XIV estão limitados a aproveitar o game no PlayStation 4 ou no PC, que compartilham os mesmos servidores. Segundo o diretor Naoki Yoshida, nada impede que o game também ganhe versões para o Xbox One e para o Switch, contando que eles compartilhem dessa mesma condição.

Ainda há muito que eu quero conquistar dentro de Final Fantasy XIV

Em entrevista ao Kotaku, Yoshida afirmou que sua vontade é que o MMO tenha o maior número possível de jogadores — o que exigiria quebrar as barreiras entre as plataformas. Segundo o diretor, já houve algumas reuniões com executivos responsáveis por cada um desses consoles para que esse sonho se torne algo possível.

“Ainda há muito que eu quero conquistar dentro de Final Fantasy XIV. Eu não estou fazendo o jogo para mim mesmo. Não é como se esse fosse um projeto que alimenta meu próprio ego. É mais sobre: como satisfazemos nossos consumidores, nossos jogadores, que pagaram para jogar esse game, e esse pagamento reflete no meu salário”, explicou.

Apoio à comunidade

“Em um MMORPG, assim que ele é lançado e começa a oferecer serviços e operações ao vivo, haverá uma comunidade. Não importa o quanto ela diminua, temos que ser responsáveis por cuidar delas. Seria um obstáculo se a first-party ou a fabricnate mudasse como patches são implementados ou os regulamentos online”.

“Alguns dos regulamentos de nossas parceiras externas não levam MMORPGs em consideração em termos de como eles arranjam suas atividades online. Isso pode se tornar um problema quando consideramos operar FFXIV por um longo período de tempo, então, quando converso com elas, eu pergunto: ‘você tem a capacidade de se preparar para isso, você tem a dedicação para tomar responsabilidade e cuidar da comunidade, você tem essa vontade?’”, complementa o diretor.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.