Voxel

EA afirma que DRM é uma estratégia fracassada e sem saída

Último Vídeo

Fonte da imagem: Reprodução/GamesIndustry
O recente lançamento de SimCity foi especialmente conturbado para os jogadores e para a Electronic Arts, que precisou correr contra o tempo para tentar deixar os servidores em estado funcional, já que muitas pessoas sequer conseguiam acessar o game.

O novo capítulo do simulador de cidades utiliza um sistema diferente dos anteriores. Para jogar, é preciso estar conectado na internet o tempo todo, e muitas pessoas questionaram esse método já que o game não é exatamente um MMO. Isso levantou a questão de que a EA poderia estar forçando um modelo de DRM.

O presidente da EA, Frank Gibeau, conversou com o GamesIndustry durante a GDC 2013 e garantiu que o motivo de SimCity ser um jogo online não tem nada a ver com DRM:

“Essa não é a realidade; eu estive presente em todas as reuniões. DRM nunca foi cogitado. Você não desenvolve um MMO por estar pensando em DRM — você está construindo uma experiência multiplayer em massa, é isso o que você está construindo”.

DRM está fora de questão

Gibeau garante que o DRM não está mais em discussão dentro da EA. Ele deixou bem claro que essa não é mais uma opção para os desenvolvedores:

“DRM é uma estratégia fracassada e sem saída; ela não é uma estratégia viável para o negócio de jogos. Então, o que nós tentamos fazer criativamente é construir um serviço online no universo SimCity e é isso que buscamos alcançar. Para as pessoas que têm teorias da conspiração sobre os malvados homens de terno preto da EA estarem forçando DRM goela abaixo da Maxis, esse definitivamente não é o caso”.

Gibeau concorda que a EA deveria ter deixado mais claro para os jogadores que o novo SimCity Seria como um MMO e precisaria estar online o tempo todo. O executivo também lamenta os problemas ocorridos nos primeiros dias, mas afirma que a equipe está trabalhando muito para garantir a melhor experiência possível.

Fonte: GamesIndustry

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.