Voxel

EA é processada pelos problemas e bugs em Battlefield 4

Último Vídeo

É melhor prevenir do que remediar, EA. Parece que os diversos bugs que acometem praticamente todas as versões de Battlefield 4 não passaram batidos. Isso porque a EA está sofrendo um processo movido coletivamente contra ela por ter “violado as leis de segurança dos EUA” e “alegadamente iludir os acionistas no que diz respeito à qualidade de Battlefield 4 e dos títulos da publisher para o PlayStation 4”.

O processo foi registrado na última quinta-feira, dia 19, na corte judicial dos EUA do distrito norte californiano pela firma jurídica Robins Geller Rudman & Dowd LLP. A firma alega que a publisher teria violado seções da cláusula de 1934 que diz respeito à segurança por produzir “declarações materialmente falsas e enganosas” referentes a Battlefield 4.

Desde o lançamento de Battefield 4, que se deu no dia 29 de outubro para PlayStation 3, Xbox 360, PC e posteriormente PlayStation 4 e Xbox One, os jogadores têm enfrentado uma série de entraves como bugs, problemas de conectividade e travamentos, entre outros. Como resultado, a própria DICE se pronunciou a respeito e disse que está “repensando” o desenvolvimento de futuras expansões de Battlefield 4 até que possa “solucionar todos os problemas”.

O processo também menciona problemas de desempenho com a versão de PlayStation 4 de outros títulos da EA, como Need for Speed Rivals.

Resumidamente, a ação movida em “classe de ação”, nome técnico para um processo realizado coletivamente, acusa a EA de “falhar em resolver” e “representar mal” uma série de problemas dos quais ela estava ciente, mas que “ignorou de forma imprudente”. Battlefield 4, segundo o processo, está “tão despedaçado com bugs e diversos outros problemas que não poderia ter um lançamento bem-sucedido” e que, por isso, a EA “não estaria em vias de alcançar resultados financeiros que havia dito ao mercado que alcançaria”.

Um representante da EA se pronunciou sobre as circunstâncias ao site Polygon. “Acreditamos que essas reclamações não têm mérito. Pretendemos nos defender com todas as forças e estamos confiantes de que a corte judicial vai desconsiderar a reclamação no curso certo”, disse.

Uma outra firma jurídica afirmou, na semana passada, que estava investigando se entraria ou não com um processo contra a EA pelas mesmas razões – problemas em Battlefield 4. Até que a Robins Geller Rudman & Dowd LLP passou a cuidar do caso em caráter oficial.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.