Equipe de Castlevania: Lords of Shadow explica o que deu errado nos games
Seja o primeiro a compartilhar

Equipe de Castlevania: Lords of Shadow explica o que deu errado nos games

Último Vídeo

Castlevania: Lords of Shadow e Castlevania: Lords of Shadow 2 mudaram bastante o visual e o estilo da franquia de caçadores de vampiros — e não foram poucas as pessoas insatisfeitas com isso. A recepção (especialmente ao segundo game) foi tão ruim em alguns pontos que o produtor Dave Cox saiu da Konami após 17 anos e a desenvolvedora espanhola MercurySteam, que havia recebido a chance da vida de trabalhar com a gigante japonesa, voltou ao anonimato e ainda saiu com a imagem manchada.

Seis anos depois de o primeiro game sair, Cox e Enric Alvarez, da MercurySteam, conversaram com o site Eurogamer e contaram como foi o desenvolvimento do produto — e se ele foi mesmo tão ruim a ponto de fazer a Konami dar férias à série por um tempo.

Não é tão ruim quanto parece

Segundo Cox, o grande problema de Lords of Shadow 2 é que a história do primeiro era uma jornada crescente, cheia de ambientes variados, com exploração. O segundo era algo mais pessoal, individual. Só que ele ainda argumenta que o game vendeu bem, sendo um dos Castlevania comercialmente mais rentáveis.

Para Alvarez, há várias qualidades nos dois títulos, mas "os fãs hardcore de longa data odiaram desde o primeiro dia" e nem tentaram avaliar o game como algo novo. Essa situação caótica é o que teria prejudicado bastante o desenvolvimento. "Lords of Shadow 2 é muito melhor em vários aspectos do que o primeiro", argumenta.

Até ameaça de morte

Alvarez conta que o ódio pelos novos games foi tão grande que, certa vez, a equipe recebeu uma carta que parecia tão ameaçadora que os levou a chamar a polícia. O motivo? Fãs furiosos pela mudança de tom, gameplay e jogabilidade de Castlevania nos dois games do arco.

Uma das partes mais criticadas do game é quando, no controle de certo personagem, você acaba se transformando em um rato e precisa passar por missões de stealth. Os produtores se defendem dizendo que aquilo "não é nem 6 ou 7% do game" e acham as críticas injustas.

Kojima

Sobre trabalhar com Kojima como produtor especialmente no primeiro game, Cox foi só elogios. "Ele nos deu carta branca. Ele era superapoiador. Lords of Shadow 1 não seria feito sem Kojima se prontificando e defendendo a equipe", explica. Alvarez também tem algo parecido a dizer. "Ele é um cara que entende completamente o desenvolvimento de um game; ele compreendeu e compartilhou nossa visão de Castlevania", confirma.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.