Voxel

Escritor do game Spec Ops: The Line espera que jogos violentos sejam cada vez menos frequentes

Último Vídeo

Img_normal

Pode parecer um pouco estranho, mas o escritor do game Spec Ops: The Line, Walt Williams, afirmou que gostaria de ver poucos games violentos emergindo futuramente no mercado. A justificativa do produtor é que a criatividade dos títulos sanguinolentos é muito diminuta e o potencial dos roteiristas é muito maior do que isso.

“Nós estamos em uma indústria repleta de pessoas muito inteligentes, capacitadas e com uma progressão de trabalho incrível”, afirma Williams. Por essa razão, o escritor diz que está ficando cada vez mais difícil olhar para jogos com esse baixo nível de criatividade e achar que foi um bom trabalho... E não por se tratarem de games ruins ou errados, mas pelo baixo nível de criatividade que foi usado na construção deles.

Por essa razão, Williams roga para que os games muito violentos acabem sendo menos explorados nos próximos anos. O próprio exemplo de Spec Ops já utiliza uma contextualização diferente da violência, utilizando-a de forma a desconstruir o próprio enredo, da perigosa aventura de um único soldado. Spec Ops foi um experimento realizado com um jogo, que acabou gerando resultados até melhores do que o esperado.

Para finalizar, o escritor sugere que os roteiros de shooters sejam protagonizados por personagens menos desesperados e que proporcionem mais esperança. “Talvez isso já seja um excelente primeiro passo”, conclui Williams. Para quem não se lembra, Spec Ops é um jogo de tiro em terceira pessoa, cuja análise você pode conferir clicando aqui.

Fonte: Gamespot

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.