Everybody’s Gone to the Rapture: estúdio fala sobre seu exclusivo para PS4

Everybody’s Gone to the Rapture: estúdio fala sobre seu exclusivo para PS4

Último Vídeo

Parceria do estúdio The Chinese Room com a Sony de Santa Mônica, nos EUA, Everybody's Gone to the Rapture deu as caras na gamescom de 2013 e causou uma boa impressão – principalmente pelas belas imagens –, mas, desde então, não surgiram muitas novidades. Na última terça-feira (20), porém, a desenvolvedora resolveu quebrar um pouco do silêncio e lançar uma sequência de mensagens sobre o exclusivo de PlayStation 4 no Twitter.

“Passei grande parte do dia trabalhando no acabamento do game, que está ficando bem bacana agora. A estrutura base já foi colocada, o próximo passo é adicionar conteúdo. Que é um jeito bem seco e frio de dizer que estamos prestes a chegar em um momento muito excitante, e que eu posso assistir ao surgimento de coisas sensacionais”, escreveu um dos desenvolvedores na conta oficial da The Chinese Room na rede social.

“Em outras partes do jogo, diversos detalhes menores estão começando a emergir, que realmente impulsionam o mundo à frente. Calçadas, nuvens, mais folhagens e o constante aperfeiçoamento do nível de detalhes, da taxa de quadros e da iteração da IA. Definitivamente com aquele sentimento que estamos na maior curva da estrada”, afirmou nas mensagens posteriores, demonstrando que apesar do atraso o game segue em seu ritmo de produção.

A esperança é de que, assim que tal “curva” for vencida – com a parte pesada de conteúdo a ser incluído no game –, possamos conferir mais notícias sobre o título. Tido como o sucessor espiritual de Dear Esther, Everybody’s Gone to the Rapture tem como motor gráfico a CryEngine 3, o que significa que o jogo terá uma bela atmosfera e cenários de matar. A dúvida é se o ele vai seguir o mesmo conceito de agir mais como uma experiência interativa ou se vai caprichar na jogabilidade, para que o público possa se virar no mundo pós-arrebatamento.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.