Ex-artista da Rockstar afirma ter sido assediado por executivo da empresa

Ex-artista da Rockstar afirma ter sido assediado por executivo da empresa

Último Vídeo

Poucos meses após relatos de que a Rockstar Games cultiva um ambiente de trabalho pouco saudável, um artista que trabalhou na companhia em 2014 relatou um caso de assédio que sofreu por parte do executivo Jeronimo Barrera. Segundo Colin Bundschu, seu antigo chefe o apalpou e o forçou a sentar em seu colo e esfregou suas coxas durante uma visita à sede da empresa em Carlsbad, California.

Red Dead Redemption 2

Bundschu afirma que relatou o caso ao departamento de recursos humanos e a pelo menos 4 outros funcionários, mas a investigação conduzida afirmou que a acusação “não tinha substância”. Poucos meses depois, o artista decidiu pedir demissão da produtora e se afastou completamente da indústria de games.

Vice-presidente de desenvolvimento de produtos, Jeronimo Barrera era conhecido por fazer ameaças constantes de demissão e por usar seu poder para afastar funcionários que “cruzassem seu caminho”. O executivo deixou a companhia em 2018 após 20 anos de participação, tempo durante o qual se tornou famoso por sua volatilidade.

História que pode ajudar a outros

Em uma entrevista concedida ao Kotaku, Bundschu afirma que decidiu voltar a falar publicamente sobre o caso (mencionado em um livro de 2017 usando pseudônimos) por sentir que sua história pode evitar que eventos do tipo se repitam. Através de seu advogado, Robert Tracy, Barrera negou as acusações e não fez comentários adicionais sobre a questão.

Red Dead Redemption 2

Já a Rockstar afirmou, através do porta-voz Alan Lewis, da publicadora Take-Two, que trata assuntos do tipo muito seriamente e que sempre os investiga e toma as medidas necessárias. 13 funcionários da desenvolvedora entrevistados pelo Kotaku afirmaram que Barrera era conhecido por seu comportamento instável e por reprimir pessoas que mantinham contato com funcionários que haviam deixado o estúdio.

Enquanto alguns dos entrevistados afirmaram que lembram do ocorrido, pelo menos uma pessoa diz não ter visto nada de inapropriado na noite em que os eventos teriam acontecido. O artista afirmou que queria continuar na Rockstar, mas decidiu procurar um novo emprego em 2014 conforme fofocas sobre a acusação começaram a circular no estúdio.

RH “não pode ser confiado”

Segundo o Kotaku, embora muitos funcionários se orgulhem de seu trabalho na empresa, há uma sensação em comum de que o setor de recursos humanos “não pode ser confiado” e que pessoas consideradas “negativas” não têm futuro na companhia. Enquanto Bundschu deixou a empresa em 2015, Barrera continuou nela até 2018 trabalhando em Red Dead Redemption 2.

Após trabalhar na Oculus como engenheiro, Bundschu decidiu mudar completamente o rumo de sua carreira, muito disso como resultado de seu tempo na Rockstar. “Poderia ter sido um trabalho realmente legal, uma carreira muito legal”, afirmou. “Depois que isso acontece com você, tudo muda”.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.
Voltar para notícia
Carregando...
Comentários
Carregando...
Este comentário foi apagado. Desfazer
+1
-1
Este comentário foi apagado. Desfazer
Responder Excluir Editar
+1
-1
Ver mais comentários Ver mais comentários