Financiado com o Kickstarter, reboot de System Shock entra em hiato
Seja o primeiro a compartilhar

Financiado com o Kickstarter, reboot de System Shock entra em hiato

Último Vídeo

O estúdio Nightdive revelou na última sexta-feira (16) que o desenvolvimento de seu reboot da série System Shock foi colocado em hiato. Desenvolvido com a ajuda de US$ 1,35 milhão conseguidos através do Kickstarter, o projeto foi colocado em uma pausa indefinida após a companhia decidir que estava seguindo o caminho errado em seu desenvolvimento.

“Eu tenho que colocar o time em hiato enquanto reavaliamos nosso caminho para que possamos voltar a nossa visão”, afirmou Stephen Kick, CEO da Nightdive. “Estamos tirando uma pausa, mas não finalizando o projeto. System Shock vai ser finalizado e todas as nossas promessas serão cumpridas”.

System Shock

Iniciada em 2016, a campanha de financiamento recebia atualizações constantes dos desenvolvedores, que divulgavam seus avanços e artes conceituais do projeto. Segundo uma fonte anônima revelou ao site Polygon, ambições pouco realistas acabaram consumindo todos os fundos que a equipe havia adquirido através de sua campanha no Kickstarter.

O diretor de desenvolvimento de negócios Larry Kuperman confirmou a situação e disse que tentativas da Nightdive de entrar em acordo com publicadoras não foram bem sucedidas até o momento. Segundo ele, 15 pessoas que trabalhavam para o estúdio sob contratos temporários foram dispensadas, mas não haverá demissões na equipe fixa da empresa no momento atual.

“Estamos tirando uma pausa, mas não finalizando o projeto. System Shock vai ser finalizado e todas as nossas promessas serão cumpridas”

Ele acredita que o projeto deve ser reiniciado — com a presença de pessoas que trabalharam no demo que atraiu atenção no Kickstarter — em um período que vai de 18 a 24 meses. Vale notar que a decisão da Nightdive não afeta o desenvolvimento de System Shock 3, que está sob responsabilidade da Otherside Entertainment.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.