Voxel
26
Compartilhamentos

G-Star 2014: testamos Lineage Eternal e a espera pode valer a pena

Último Vídeo

Todo bom jogador de MMORPG conhece a franquia Lineage, a qual é desenvolvida pela NCsoft, teve seu primeiro título lançado em 1998 e a sua sequência em 2003 – que mais tarde foi adaptada para se tornar free to play e gerou mais um jogo para a série, o Lineage II: Goddess of Destruction.

Os fãs da franquia também devem se lembrar que na G-Star de 2011 o estúdio divulgou o primeiro trailer de Lineage Eternal: Twilight Resistance, mostrando na época que o aclamado Diablo III poderia ter uma concorrência a altura.

Após alguns anos de poucas informações liberadas, o game voltou a aparecer no evento asiático, e dessa vez com uma pequena demonstração do que os jogadores podem esperar. Não podíamos perder a oportunidade de conferir o novo título da série de perto e fomos até o stand da NCsoft – onde o tempo de espera na fila chegava a duas horas.

Evoluções interessantes e bem pensadas

Após os 20 minutos de contato que tivemos com Lineage Eternal, saímos do espaço reservado para ele com a sensação de que a desenvolvedora planejou muito bem cada passo dado na sua criação, sabendo dosar de maneira coerente quais aspectos manter intactos e quais deviam mudar.

A a estrutura do jogo não apresentou grandes reformulações. Pelo menos por enquanto, os menus permanecem nos mesmos lugares – embora apresentem renovações pontuais. Além disso, a visualização isométrica do campo de batalha foi mantida, e isso dificilmente irá mudar até o seu lançamento.

Aquela que talvez seja a grande novidade de Lineage Eternal fica por conta do sistema de comando com o recurso “drag action”. A partir dele, é possível realizar gestos com o mouse para executar movimentos e ações distintos, como efetuar ataques corpo a corpo ou conjurar feitiços. O mecanismo é bacana e cria uma variedade maior de comandos, mas sem torná-los complicados – quebrando assim um pouco a “monotonia” dos tradicionais cliques com os botões esquerdo e direito do mouse.

Outra característica interessante do game é a presença de dungeons dinâmicas. Lineage Eternal é capaz de combinar elementos pré-definidos de maneira aleatória para apresentar um ambiente completamente novo toda vez que o jogador entrar nele. A ideia aqui é proporcionar aventuras menos repetitivas ao atravessar cavernas e labirintos repletos de inimigos, e tal função tem grande potencial de alcançar isso.

Sempre com você

Até aqui, vimos algumas melhorias que impactam diretamente na jogabilidade de Lineage Eternal, mas nenhuma delas tem o potencial de entretenimento da disponibilização de uma versão mobile. Isso mesmo: você poderá carregar o game, bem como o seu progresso nele, no seu bolso.

Conforme explicitado em um trailer divulgado recentemente, o título deve contar com uma integração de servidores, permitindo que o jogador continue sua jogatina de onde parou no PC, e o processo inverso também é possível. No stand da NCsoft haviam alguns aparelhos rodando uma espécie de tutorial interativo, mas que não deixava os visitantes realmente jogá-lo. Com suporte programado a princípio para Android e iOS, essa portabilidade vai deixar muita gente com um pouco menos de vida social.

Produção impecável

Em questão visual, Lineage Eternal não deixa a desejar para nenhum outro concorrente. Se por enquanto não podemos afirmar que ele possui gráficos superiores (até porque isso é um tanto quanto relativo), no mínimo podemos garantir que ele não ficará muito atrás de outros títulos renomados do gênero.

Sobre resolução de imagem, aplicação de texturas e construção dos cenários, não temos do que reclamar: está tudo muito bem feito e bonito. O destaque nesse sentido é a adoção de um número maior de animações cinematográficas, trazendo um pouco mais de requinte para os ambientes amplos e cheios de elementos – incluindo diversos tipos de objetos interativos –, que são povoados por uma grande variedade de personagens a cada novo salão, corredor, caverna ou floresta acessado.

Devemos deixar registrado ainda a excelente qualidade do sistema de iluminação e os efeitos de áudio impecáveis (sem qualquer distorção ou ruído). Mas como nada é perfeito, Lineage Eternal possui pequenos “problemas”. Durante nossa experiência com ele, por exemplo, pudemos observar linhas serrilhadas e tivemos a impressão de uma queda de frame – tentamos reproduzi-lo mais uma vez, mas não conseguimos. Obviamente, esses são pequenos detalhes, os quais não devem afetar a experiência ou a diversão do jogador e a NCsoft ainda pode corrigi-los.

Como você deve imaginar, o game estava todo em coreano, tornando a percepção de alguns elementos bem complicada, como a narração. A princípio, as falas e a ênfase dada a cada conversa parecem estar condizentes com cada situação e esperamos que o mesmo bom trabalho seja feito para versões em inglês e português – se é que elas existirão.

A espera continua

É válido lembrar ainda que Lineage Eternal deve contar com pelo menos uma nova classe, a de assassinos, oferecer suporte para até 500 jogadores em uma mesma área, disponibilizar uma arena para combates PvP e incursões contra chefões que podem reunir mais de 20 jogadores. Resumidamente, tudo o que um gamer de MMORPG precisa para se divertir por muito tempo.

Porém, nem todas as notícias são tão agradáveis quanto gostaríamos. Conversamos com um membro da equipe de desenvolvimento no stand da NCsoft na G-Star 2014 e ele nos revelou que ainda há muita coisa a ser feita no game e a empresa não possui uma previsão oficial de lançamento. A estimativa inicial é de que Lineage Eternal seja finalizado somente em 2017.

Além disso, a pessoa que nos atendeu informou que as companhias envolvidas no seu desenvolvimento pretendem lançá-lo mundialmente, mas isso ainda depende de muitas negociações e não existe nada concretizado. Certo mesmo é que ele será disponibilizado na Coreia do Sul. Depois de tudo isso, podemos concluir que Diablo III realmente terá “alguém” para bater de frente. Aliás, essa briga pode esquentar ainda mais com a chegada de Lost Ark, outro título que tem ganhado muita notoriedade e não é a toa, como você pode conferir clicando aqui.

O BJ viajou para a G-Star a convite da Nurigo Games.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.