Game Freak explica a falta de novos Pokémon Stadium e Pokémon Snap

Game Freak explica a falta de novos Pokémon Stadium e Pokémon Snap

Último Vídeo

Em uma era tomada por um retorno constante ao passado, é realmente curioso que alguns títulos clássico ainda não tenham aparecido em versões modernas — ou, vá lá, pelo menos recauchutadas. Pokémon Stadium, por exemplo. Depois de ter feito um enorme barulho no Nintendo 64, o coliseu virtual dos monstrinhos de bolso ganhou apenas uma versão para o Wii em 2007 (Pokémon Battle Revolution)... E nada mais se viu desde então. Há um motivo para isso, é claro.

Em entrevista ao site US Gamer, o diretor da série Pokémon, Junichi Masuda, afirmou que seria necessário um motivo legítimo para que uma nova geração da pancadaria de monstros pudesse surgir. Em outras palavras, apenas colocar gráficos melhores e jogar o resultado nas prateleiras não é algo considerado aceitável.

“Isso envolve voltar à filosofia central de Pokémon como uma marca: nós realmente queremos empolgar as pessoas e surpreendê-las com elementos que não estejam esperando”, disse Masuda ao referido veículo. “Os jogos originais, é claro, eram em 2D e em preto e branco, de forma que vê-los em 3D foi um belo contraste — foi uma espécie de surpresa para os jogadores.”

Não obstante, com os Pokémons atuais já em versões tridimensionais, o desenvolvedor acredita que o melhor seja esperar por algo de realmente novo. “Se nós formos mesmo retornar à série Stadium, eu penso que vamos precisar de uma inovação que possa justificar isso”, disse Masuda.

O mesmo vale para Pokémon Snap

Junichi Masuda também foi questionado sobre um possível retorno de Pokémon Snap. Novamente, a “filosofia de Pokémon como uma marca” prevaleceu. Embora o spinnoff não tenha sido desenvolvido pela Game Freak, o desenvolvedor garante que, como jogador, também é bastante afeiçoado ao curioso game sobre fotografar os monstrinhos de bolso em seu habitat natural.

“Como um jogador, eu definitivamente quero jogar uma versão nova e legal de Pokémon Snap, mas, ao mesmo tempo, eu penso que, caso seja apenas um remake com belos gráficos, [um novo Pokémon Snap] pode não ser tão interessante quanto as pessoas imaginam.” Para o desenvolvedor, deve ocorrer um salto semelhante ao de Pokémon Ruby e Pokémon Sapphire, em que o jogo possa evoluir a despeito de simples atualizações gráficas.

“É importante ter novos elementos”

“Caso alguém acabe desenvolvendo isso, eles vão precisar de algumas ideias bacanas para para fazer dele um bom jogo para as atuais gerações”, disse Masuda ao referido site. “É mais ou menos o que eu dizia sobre Omega Ruby e Alpha Sapphire. Embora um port direto também seja interessante, ter novos elementos é definitivamente importante.”

Pokémon Snap foi lançado originalmente para o Nintendo 64 em 1999. O game foi baseado na série popular de RPGs desenvolvida para o Game Boy durante os anos 1990, e convidava os jogadores a fotografar Pokémons in natura ao longo de percursos pré-determinados. Como armas, não havia nada além de uma câmera, maçãs e algumas iscas — sendo que o grande desafio era fazer alguns monstrinhos mais reclusos saírem de suas tocas. Sim, isso era divertido.

Já Pokémon Omega Ruby e Pokémon Alpha Sapphire são remakes dos jogos Pokémon Ruby e Pokémon Sapphire, lançados em 2002 para o Game Boy Advance. Ambos os títulos devem dar as caras no dia 21 de novembro, exclusivamente para o Nintendo 3DS.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.