Gearbox: batalha legal envolve bônus secretos, traições e camgirls

Gearbox: batalha legal envolve bônus secretos, traições e camgirls

Último Vídeo

Enquanto a Gearbox não divulga mais detalhes sobre o futuro de Borderlands, os bastidores da empresa e seu CEO Randy Pitchford estão ganhando as manchetes. Conforme relata o Kotaku, o ex-conselheiro Wade Callendar está processando a desenvolvedora e acusa Pitchford de ter recebido um “bônus secreto” de US$ 12 milhões da Take-Two.

A acusação surge como uma resposta ao processo que a Gearbox abriu contra Callendar, que é acusado de fraude e de não ter cumprido seus compromissos fiduciários. A empresa afirma que o ex-funcionário não pagou por empréstimos usados para comprar uma casa e para financiar um curso de MBA. Além disso, ele é acusado de usar fundos da companhia para “férias familiares e para pagar associações a clubes de armas e acessórios”.

Borderlands 2

Callendar também afirma que Pitchford esqueceu em um restaurante de Dallas um drive USB que continha segredos comerciais da Gearbox e de companhias como SEGA, Sony e Microsoft. Ele também afirma que, dentro do dispositivo, havia gravações de camgirls e do que ele afirma ser “pornografia de menores de idade”.

Pitchford já havia comentado sobre a história em um episódio do podcast The Piff Pod, confirmando que deixou o drive em um restaurante Medieval Times Dinner and Tournament. “Algum rapaz, um empregado do Medieval Times, encontrou o drive de memória e o levou para casa... e descobriu alguns segredos da minha companhia e jogos em desenvolvimento, e também a pornografia”, afirmou o CEO na ocasião.

Pitchford comenta

Através do Twitter, o CEO da Gearbox comentou o processo iniciado por Callendar e afirma que ele não tem “base na realidade ou na lei”. “Ele simplesmente está tentando me extorquir. Vamos vencer, mas, como os processos estão pendentes, não posso comentar tanto quanto gostaria. Estou chocado com suas mentiras. Obrigado pelo amor e suporte”.

Callendar afirma que todo seu relacionamento com a desenvolvedora foi baseado em acordos verbais com Pitchford, que não cumpriu sua palavra. O ex-funcionário chegou a ter papel ativo no processo aberto contra John Wright, assistente pessoal que roubou US$ 3 milhões da companhia — algo que ele alega ter sido “escondido” por Pitchford em suas declarações à imprensa.

“Imaginamos que ele usou marcas de citação e linguagem de advogados na esperança de que vamos dar a ele alguns ângulos de defesa quando inevitavelmente agirmos contra suas declarações falsas”, afirmou a Gearbox em um comunicado. “Wade está envolvido em extorsão usando enganações e mentiras para tentar causar danos ao promover uma narrativa que ele sabe ser falsa”.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.
Voltar para notícia
Carregando...
Comentários
Carregando...
Este comentário foi apagado. Desfazer
+1
-1
Este comentário foi apagado. Desfazer
Responder Excluir Editar
+1
-1
Ver mais comentários Ver mais comentários