Voxel

Halo é universo que pode ser explorado em vários formatos, diz 343

Último Vídeo

Apesar de ter se consolidado como uma das maiores franquias de FPS dos últimos anos, Halo não vive apenas de tiro em primeira pessoa. A série já flertou com outros gêneros, como RTS em Halo Wars, e agora chega com um shooter top-down com Hallo: Spartan Assault.

No entanto, qual a necessidade dessas experimentações constantes? Elas são realmente necessárias? O designer chefe do novo jogo acredita que sim.

Em entrevista ao site Venture Beat, Mike Ellis explicou que a série Halo evoluiu muito desde sua primeira versão e que, há tempos, deixou de ser apenas uma série de jogos com suas sequências e spin-offs, se transformando em um grande universo de experiências que podem ser exploradas de várias formas.

Segundo ele, a 343 Industries está muito interessada em aproveitar o potencial existente na série para expandi-la, contando novas histórias e de maneiras diferentes. Tanto que Ellis lembra que, além dos jogos, a saga conta ainda com livros, histórias em quadrinhos, linhas de brinquedos e até mesmo uma série de TV produzida por Steven Spielberg engatilhada.

E o novo Halo: Spartan Assault é uma dessas investidas. Para o designer, o novo jogo é uma experiência completamente diferente dentro da série. De acordo com ele, o título se parece com Halo, é jogado como Halo, mas se revela como uma parte completamente nova dentro daquele universo.

Do seu jeito

Questionado sobre o modo como foi feita a adaptação do game para os consoles, Ellis diz que as alterações não foram tão drásticas quanto se parece. Embora o game original tenha sido criado para tablets, o port para Xbox One manteve o cerne da mecânica, exigindo apenas algumas modificações para que ele se ajustasse perfeitamente na nova plataforma.

Exemplo disso é que, nos consoles, o novo Halo conta com um modo cooperativo de sobrevivência muito mais frenético do que o existente nas plataformas móveis. Assim, dois jogadores controlam uma dupla de Spartan e devem defender a área de uma horda de Flood.

Mike Ellis conta ainda que a 343 se esforçou para que cada versão do jogo aproveitasse o melhor do sistema utilizado. Desse modo, há uma plataforma ideal para cada perfil de jogador: se você é o tipo casual que não tem contato com consoles, o jogo pode ser melhor aproveitado em tablets e smartphones. Já os jogadores de PC vão se divertir mais com um teclado e mouse enquanto o público dos consoles vai ter os controles à disposição para extrair todo o potencial do título.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.