Voxel
30
Compartilhamentos

Infinity Ward: “a maioria dos jogadores de Call of Duty não é hardcore”

Último Vídeo

Img_normal

Apesar das críticas que Call of Duty enfrenta em anos recentes, cada novo lançamento da série tem acumulado recordes de venda que asseguram a sobrevivência da franquia. Segundo Mark Rubin, produtor executivo da Infinity Ward, isso se deve muito ao fato de que, para muitas pessoas, esse é o único game que existe no mercado.

Em entrevista à OXM, Rubin afirmou que acredita que o próximo capítulo da série, Ghosts, deve vender tão bem quanto seu antecessor. “Independente da plataforma, os hábitos de jogo das pessoas não vão mudar. Temos um número enorme de jogadores que seriam considerados casuais, mas eles jogam durante muito tempo.”

“É algo estranho, até mesmo irônico de se dizer”, afirma o produtor executivo. “Eles não são jogadores hardcore, nem sequer podem ser considerados jogadores em si, mas eles estão aproveitando Call of Duty todas as noites. Esses caras vão continuar jogando independente da plataforma. Então acredito que vamos continuar interagindo com essa base, mas vamos usar a nova geração para ver o quanto podemos expandi-la.”

Agradando ao público casual

Já ao Kotaku, Rubin explicou que a possibilidade de assumir o papel de uma mulher no modo multiplayer é resultado de uma tentativa de agradar a esse público mais casual. “Sentíamos que era algo de que os jogadores casuais, que são uma grande parte de nossa base de fãs, iriam se beneficiar.”

Img_normal

“Diversos públicos diferentes são atraídas por nosso game, e queríamos ser os mais inclusivos o possível ao bolar nosso sistema de customização de personagens. E foi aí que surgiu essa ideia. Por que não poderíamos incluir uma opção feminina?”, explicou o desenvolvedor.

Embora a explicação de Rubin faça sentido, as palavras escolhidas pelo produtor executivo da série Call of Duty devem gerar alguma polêmica entre o dito “público gamer”. Tudo isso porque, nos últimos anos, o termo “casual” passou a definir quem consome experiências simples e repetitivas, em vez de simplesmente definir jogadores que gostam de gêneros específicos e não se preocupam em conhecer todas as opções que o mercado tem a oferecer.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.