Voxel

Jogadores têm desempenho melhor em ambiente profissional, diz estudo

Último Vídeo

Pesquisadores da universidade de Denver (EUA) afirmam que os jogos eletrônicos são capazes de estimular os mecanismos de raciocínio, criando assim pessoas mais motivadas e com melhor desempenho em ambiente profissional. A constatação levou em conta 65 estudos relacionados aos video games; mais de 6,4 mil estagiários foram também avaliados.

De acordo com a publicação, pessoas que jogam podem reter uma quantidade maior de informações até mesmo em ambientes pouco interativos. “Sabemos agora que os video games funcionam”, diz Traci Sitzmann, psicóloga da Escola de Negócios de Denver.

Números

Ao analisar estudos sobre a eficácia dos video games na vida de profissionais, Sitzmann concluiu que os jogadores possuem em média um nível de conhecimento factual até 11% maior quando comparados a pessoas que não jogam – o nível de “conhecimento geral” da classe estudada destacou-se outra vez, ficando em 14%. Ainda conforme aponta a pesquisa, a taxa de retenção de informações por parte dos gamers é também maior: de 9%.

Jogos motivadores

Diversas empresas têm investido quantias generosas no desenvolvimento de jogos que tentam, de alguma forma, melhorar o desempenho de seus empregados. Qual é a quantidade ideal de sorvete que deve ser despejada sobre uma colher? Ou quanto exatamente de cerveja deve ser derramado dentro de um copo? Empreitadas como essas já são realidade em companhias norte-americanas como Cold Stone Creamery e Miller Brewing.

Mas a psicóloga responsável por conduzir o estudo alerta: se os video games não motivam os jogadores, a eficácia dos jogos será a mesma registrada pelas formas tradicionais de treinamento. Prova disso foram os 16% de títulos passivos avaliados por Sitzmann – que mostraram-se pouco atraentes aos empregados. “O jogo tem de ser motivador, pois assim os jogadores optam por melhorar suas habilidades de domínio”, afirma a pesquisadora.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.