Voxel

“Jogadores vão estranhar”, diz Airtight sobre mecânicas de Murdered

Último Vídeo

Img_normal

Ser um fantasma não deve ser fácil. Deixar de sentir o gosto de comes e bebes e não poder tocar os outros fisicamente deve ser complicado. Controlar nos games uma pessoa do além é tarefa igualmente difícil. Pelo menos é o que afirma Matthew Brunner sobre Murdered: Soul Suspect, o próprio vice-presidente da desenvolvedora do game, a Airtight.

“Sentir-se como um fantasma é uma horrível dor de cabeça. Se conseguir imaginar, como você faria um trajeto para seu personagem quando na verdade ele pode atravessar qualquer coisa de qualquer maneira possível? Esse foi o verdadeiro desafio que enfrentamos”, explicou o executivo.

Brunner disse que a equipe de desenvolvimento inicialmente experimentou o game com outros jogadores dando a eles a possibilidade de atravessar paredes de diversas salas, mas descobriu que todos ficaram “desorientados” e “realmente perdidos”, mesmo que fosse num ambiente com apenas quatro cômodos. “Para resolver isso, implementamos algumas dicas sutis aos ambientes. Isso ajuda os jogadores a saberem onde estão para que não se sintam perdidos”, explicou.

Acostumou-se à mecânica? Não vai querer saber de outra

Se por um lado as mecânicas fantasmas de Murdered: Soul Suspect podem gerar estranheza no começo, por outro elas vão cair nas graças dos jogadores após eles se acostumarem às formas de jogar. Brunner sugere que eles não vão querer jogar outros games após terem se adaptado ao sistema.

“É interessante quando você chega a um ponto do jogo em que começa a se acostumar ao sistema e então pensa: ‘eu não quero jogar um game em que não posso atravessar a parede que quiser’. Há realmente algo muito estranho nisso”, completou.

Murdered: Soul Suspect vai assombrar o PlayStation 3, o Xbox 360 e o PC no começo de 2014. Até lá, um bom aquecimento é assistir a “Ghost – Do Outro Lado da Vida”, jogar L.A. Noire e ler as obras de Raymond Chandler.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.