Jogamos Diablo 3: Ultimate Evil Edition; saiba o que achamos

Jogamos Diablo 3: Ultimate Evil Edition; saiba o que achamos

Último Vídeo

Quem teve a oportunidade de jogar Diablo 3 nos consoles sabe que a Blizzard não trabalha simplesmente para “portar” o game para outras plataformas. Dessa vez, o RPG de ação mais diabólico de todos os tempos chega em sua versão definitiva, ou melhor, trazendo o nome de Ultimate Evil Edition.

O BJ esteve presente na sede nacional da Blizzard, em São Paulo, para conferir de perto as principais mudanças da nova versão, que deve chegar tanto para as plataformas da antiga como da atual geração.

Sim, os demônios ficaram mais bonitos

Diablo 3: Ultimate Evil Edition inclui a terceira versão do game e Reaper of Souls, a expansão sombria do título, ambientada na região de Hespéria. A primeira mudança significativa que notamos no decorrer da jogatina é o belo visual que compõe a jornada para impedir o Anjo da Morte Malthael.

Que me perdoem os jogadores de Diablo no PC (este redator faz parte do “bolo”), mas Ultimate Evil Edition “rala” a versão de mouse no quesito gráfico. Seja na iluminação ou nos detalhes das inúmeras criaturas demoníacas que preenchem os cenários desolados, o fato é que a nova aposta da Blizzard foi minuciosamente melhorada em todos os sentidos.

Percebemos também que o game roda em alta definição em 1080p e a 60 frames por segundo, ou seja, nada de “engasgadas” durante confrontos contra hordas incontáveis de inimigos. Agora, as luzes das magias dão um show à parte e vão contaminar a sua tela com cores vivas e muito mais vibrantes.

Em Ultimate Evil Edition, novatos e experientes são bem-vindos

Ficou nítida a intenção da Blizzard em transformar Ultimate Evil Edition em um título obrigatório para quem quer se divertir ao lado dos amigos. A edição maléfica está recheada de elementos sociais, como o novíssimo “Modo Aprendiz”, que faz com que o seu nível seja automaticamente igualado ao do seu amigo mais forte que estiver jogando na mesma party.

Dessa forma, o seu amiguinho novato que está no nível 10 não ficará frustrado ao enfrentar aberrações do level 50 que, com apenas um golpe, conseguem esmagá-lo facilmente. Apesar dos status de ataque e defesa do jogador novato se igualarem aos do player experiente, os itens coletados e a quantidade de experiência adquirida são equivalentes ao nível real do jogador.

Para os mais experientes, há o Sistema Nemesis, outro recurso bem social e que oferece uma oportunidade única para que você possa vingar a morte do seu amigo. Na verdade, o sistema Nemesis é uma espécie de feature adicional. Caso algum monstro mate seu personagem, é possível que ele apareça no jogo dos seus amigos para que eles vinguem a sua morte, proporcionando uma experiência mais social e integrada.

Consoles unidos jamais serão vencidos

Para os que adoram uma briguinha entre plataformas nos comentários, fiquem sabendo que os consoles da Sony e Microsoft andarão de mãos dadas em Ultimate Evil Edition. Sim, você será capaz de transferir os seus personagens do PlayStation 3 para Xbox One, ou do Xbox 360 para o PlayStation 4 – e vice-versa.

Diablo 3: Ultimate Edition vem para ser a versão definitiva do título diabólico da Blizzard. A história do game é basicamente a mesma que você provavelmente já jogou, mas, os elementos sociais e as mudanças visuais que a maléfica edição oferece comprovam que dessa vez não estamos lidando com um simples port.

A “versão definitiva” chega para o PlayStation 3, PlayStation 4, Xbox One e Xbox 360 no dia 19 de agosto e você já pode fazer a pré-compra através das principais redes varejistas do país. Vale lembrar que, até o momento, Diablo 3 e a expansão The Reaper of Souls venderam juntos mais de 20 milhões de cópias... Precisa provar mais o quê?

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.