Voxel

Jogos que poderiam se beneficiar com os novos controles da Sony.

Último Vídeo

Desde o início desta geração de consoles, a Nintendo vem despertando a curiosidade em milhões de pessoas ao redor do globo. Ao invés de optar pelos tradicionais controles, ela abriu espaço para uma inovação: o reconhecimento dos movimentos do jogador. Em vista do sucesso obtido, logo as concorrentes começaram a se preparar para produzir as suas próprias versões da técnica.

Mas ao invés de se passar como uma mera cópia do que foi construído pela Nintendo, a Sony traz como promessa a precisão absoluta de seus controles, que recebem oficialmente o nome de Move. Utilizando um conjunto de acelerômetros internos, leitura de posicionamento e a própria câmera do console, todos os movimentos são registrados em três dimensões exatamente como realizados pelo jogador.

As únicas coisas que faltam agora são o lançamento dos periféricos (previsto para mais perto do fim do ano) e a utilização adequada de suas capacidades. A Sony já deu início a uma série de jogos alternativos e de demonstrações, que devem chegar com ainda mais força na E3 deste ano. Mas e as plataformas e jogos que já existem, como ficam nessa história?

Hoje nós separamos alguns dos títulos que acreditamos ter o maior potencial para receberem adaptações para Move. Confira a relação abaixo!

LittleBigPlanet

Tudo bem, a Sony já confirmou que LittleBigPlanet será um dos principais atrativos para o Move, inclusive tendo realizado demonstrações ao vivo, nas quais um dos jogadores ganhava controle sobre plataformas e outros elementos do cenário, abrindo espaço para a passagem dos SackBoys companheiros ou até mesmo brincando de matá-los, entretanto sem controle direto sobre a ação.

A verdade é que não queremos ver essa diferenciação clara entre os controles na implementação final. Queremos ver os jogadores podendo utilizar o Move para agarrar objetos ao mesmo tempo em que se controla os SackBoys. Tudo deve ser simultâneo, dinâmico e o mais divertido possível para os jogadores.

Quem sabe nossos desejos não se realizam em breve, talvez até com um suposto LittleBigPlanet 2?

God of War III

Partindo direto para o Deus da Guerra, teríamos (caso a Sony considerasse a possibilidade de uma continuação ou da implementação do Move em God of War III) outra grande oportunidade para fazer com que os jogadores utilizassem melhor as armas dos falecidos deuses.

As Lâminas do Caos (Blades of Chaos), por exemplo, poderiam requerer movimentos mais alongados e lentos, ao passo que o Nemesis Whip exigiria que o jogador rodasse continuamente o Move para executar os ataques que abrangem toda a volta de Kratos. Esta jogabilidade por movimentos faria com que a ligação entre os combos de diversas armas fosse mais intuitiva, dando espaço até mesmo para os jogadores mais amedrontados pelas longas sequências de botões e de trocas nos controles.

Por fim, os Quick Time Events — aqueles momentos em que o jogo pede para você pressionar quadrado, círculo ou ainda combinações entre os demais botões — seriam bem mais interativos. Já pensou como seria a sensação de arrancar a cabeça de Hélios com as suas próprias mãos?

Yakuza 3

O game de máfia japonesa da SEGA é outro que saltou direto para a nossa lista. Curiosamente ele não merece seu lugar pelos mesmos motivos que God of War (ou seja, o combate). O que dá a ele o direito de aparecer por aqui é a vastidão da jogabilidade, que vai de pancadaria a golfe em dois segundos...

A situação é a seguinte: Yakuza 3 oferece uma infinidade de mini games, a exemplo de sinuca, cartas, dardos, boliche e pesca, todos completos, com mecânicas personalizadas e muita precisão. Imagine poder desfrutar de tudo isso com o Move... A diversão seria ainda maior, quase como se você tivesse “100 jogos em 1”.

Aliás, será que há um estilo de jogo melhor para demonstrar as capacidades da plataforma? Basta ver o enorme sucesso que a Nintendo fez e continua a fazer com a sua linha Wii Sports. Levando a “conversa” para este lado, fica claro que outros dois jogos de esporte devem ter suporte para o Move no futuro, sendo eles MLB: The Show e Everybody's Golf (Hot Shots Golf, nos Estados Unidos).

Depois dessa overdose de diversão você ainda poderia sair pelas ruas pegando cones de sinalização e quebrando eles na cabeça dos adversários para descontar a raiva do chefe, além de poder apontar o controle na direção desejada para apreciar as paisagens excêntricas do Japão virtual enquanto caminha tranquilamente à espera do próximo desafiante bêbado que passa pelas ruas.

Red Dead Redemption

O novo game de ação no faroeste, produzido pela Rockstar, é praticamente perfeito para o Move. Pense da seguinte maneira: com uma das mãos você controla o protagonista John pelos cenários (exatamente como o faria com um controle), enquanto com a outra você mira direto na tela, contando com o máximo de agilidade nos tiroteios mais ferrenhos.

Na hora de um duelo, você baixa a arma e deixa o controle na altura da cintura, fazendo realmente da sua agilidade e da pontaria um instrumento para o sucesso. Quer clima de tensão maior que esse? Como bem lembrado pelo colega Xubiruba, o jogador poderia até mesmo cruzar o Move com o subcontrole (ou melhor, “controle acessório”) para simular os disparos dos melhores momentos do cinema.

Mas isso não é tudo, afinal de contas o Move ainda poderia ser utilizado para combate com as mãos, para amarrar os bandidos derrotados por John e até mesmo para a interação com os personagens pelas cidades. Tudo isso que nós citamos pode ser realizado sem estresse algum, com você aproveitando o conforto da sua cadeira...

Demon's Souls

Retomando algo demonstrado pela própria Sony — com o jogo Sports Champions, na modalidade de combate livre — temos em Demon’s Souls a oportunidade de o jogador explorar melhor o combate, controlando sem dificuldades o equilíbrio entre escudo e espada para vencer o desafio exorbitante proporcionado pela aventura.

Para tal feito seriam requeridos dois “Move”, algo que provavelmente poucos poderão experimentar, já que para muitos o investimento simplesmente não é válido. De quebra, ainda seria possível utilizar as magias através de gestos, como se você controlasse o talismã e os bastões para tal.

Assim como para LittleBigPlanet, a nossa maior esperança reside sobre uma possível continuação para a série, aclamada pela crítica como uma das melhores e maiores surpresas do ano que passou.

Heavy Rain

Alguns classificaram Heavy Rain como uma experiência de observação e interação, principalmente pela exaustiva utilização de Quick Time Events. É justamente essa a razão pela qual vemos o Move como a forma de controles mais apropriada, podendo realmente expandir a qualidade da experiência.

Ao invés de ter que apertar botões ou de mover os direcionais analógicos no controle, você realmente “participaria” do que acontece na tela, fazendo gestos para abrir portas, para sacar dinheiro do seu bolso e deixá-lo sobre a mesa e até mesmo para coletar evidências dos crimes. Essa mudança representaria a adição de uma nova dimensão no que diz respeito à jogabilidade, tornando tudo ainda mais convincente.

Modnation Racers

Para jogos de simulação (a exemplo de Gran Turismo 5, que deve chegar em breve, e de Need for Speed SHIFT) o Move pode mais complicar do que facilitar a vida dos jogadores, que por sinal já desfrutam de comandos razoáveis pelos controles, com direito inclusive à detecção de pressão para aceleração e frenagem graduais.

Mas para aqueles com um apelo mais “Arcade” o Move é uma ótima opção. Vejamos por exemplo ModNation Racers. A direção é dada pela inclinação do dispositivo, enquanto a entrada das derrapadas pode ser ativada por um movimento de giro frontal. Viajando um pouco mais além, podemos imaginar até mesmo o controle sendo utilizado como mira, de forma que você atire com precisão nos oponentes.

RTS

Não estamos falando de nenhum jogo chamado “RTS”, amigos, mas sim do gênero de estratégia em tempo real, amado principalmente por aqueles que optam pelos computadores como plataforma para a jogatina desenfreada. A escolha pelo PC é justificada pela combinação entre mouse e teclado, que possibilita a seleção e ordenação rápida das grandes tropas que se espalham pelos mapas.

Com a chegada do Move essa disparidade seria minimizada, já que seria possível selecionar e ordenar tudo na tela apenas apontando-se os objetivos. A verdade é que o PlayStation 3 se tornaria uma das melhores plataformas para o estilo. Jogos já existentes que poderiam se beneficiar são Command & Conquer: Red Alert 3: Ultimate Edition e Tom Clancy's EndWar.

Demonstração de Sports Champions


Lemmings

Essa série já foi bem mais popular, principalmente quando era jogada nos PCs e em sua versão tridimensional, lançada no primeiro PlayStation, mas a verdade é que ela é uma das que mais veriam vantagens na implementação do suporte ao Move. Ao invés de ter que arrastar o cursor até o Lemming desejado (tarefa custosa e entediante), você só teria que apontar, tendo à sua disposição todas as ferramentas.

Isso não só tornaria a sua vida mais rápida, mas como também praticamente eliminaria a necessidade de pausar as partidas, o que as tornaria muito mais dinâmicas. Resumindo, as mesmas vantagens vistas para os jogos de estratégia em tempo real se aplicam aqui.

Depois dessa pequena lista, uma coisa fica bem clara: o potencial do Move — assim como o do Wii com o acessório Motion Plus e do Project Natal — é estonteante e não se restringe somente a projetos criados especificamente para ele. De início as duas principais vantagens que podem ser observadas são a simplificação dos esquemas de controle (abrindo espaço para um público receoso a respeito de video games) e um aumento explosivo da interatividade entre jogadores e cenários.

No caso dos jogos de tiro (que nem receberam tanta atenção neste especial de hoje, já que a própria Sony os divulga por todos os lados) o que entra em cena é um dos mais dinâmicos e precisos formatos de controle, com abertura para mira em tempo real, ao lado de movimentos rápidos pelos cenários do combate. As versões adaptadas de Resident Evil 5 e de SOCOM 4 já comprovaram isso.

É claro que aqueles projetos que forem pensados desde o início para os controles sensíveis aos movimentos verão ainda mais vantagens, mas mesmo assim há espaço de sobra para aproveitamento do que já temos no mercado. E você, vê qual franquia ou game como alvo para os novos controles da Sony?

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.