Voxel

Konami pede remoção de Skullgirls da PSN e da XBLA

Último Vídeo
KotakuFonte: Kotaku

Responsável pela criação de Skullgirls, a Lab Zero afirmou que a Konami, que publicou o game de luta na Xbox Live Arcade e na PlayStation Network em 2012, fez um pedido para que a Microsoft e a Sony removam o jogo de seus respectivos serviços. A notícia foi divulgada pelo administrador do fórum oficial do título.

Na postagem, afirma-se que a Konami e a Lab Zero recentemente encerraram sua parceria e que a criadora descobriu sobre a remoção iminente apenas após ser contatada pela Sony, o que só ocorreu após a aprovação da retirada do conteúdo do ar. Dessa forma, o estúdio acredita que “a decisão provavelmente é final”.

O jogo deve deixar de estar disponível na PSN a partir de 17 de dezembro e sairá da XBLA no dia 31 do mesmo mês. A desenvolvedora está buscando uma nova publicadora para a Europa, América do Norte e Japão, mas afirma que “os detalhes são complicados”. Uma nova publisher significaria que seria necessária outra versão do game, e portanto novas QA e certificações.

Cada um para o seu lado

A publicadora Autumn Games se separou da copublicadora Konami no mês passado. Desde então, a desenvolvedora vem trabalhando em um novo jogo da franquia Skullgirls que seja publicado exclusivamente pela Autumn. Caso seja aprovado, o novo título incluirá todas as mudanças esperadas para as atualizações vindouras do game.

A Lab Zero não sabe com certeza se os jogadores ainda vão poder jogar suas cópias online uma vez que o jogo saia das listagens. O jogo de luta não foi publicado pela Konami no Japão, então é possível que ele continue disponível por lá.

“O terrível lado ruim disso é que o jogo pode desaparecer de algumas PSNs e da Xbox Live, mas o possível aspecto positivo é que todo mundo está se juntando para nos ajudar a testar a nova versão. Se ela passar por todos os testes então vocês terão a atualização para consoles ainda este ano”, disse o diretor de design, Mike Zaimont.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.