Os melhores jogos inspirados em animes

Os melhores jogos inspirados em animes

Último Vídeo

O universo de jogos e animes andam muitas vezes de mãos dadas, com games como Pokémon, Persona e Castlevania ficando tão famosos que foram adaptados para suas próprias séries animadas. Mas o contrário também acontece bastante, algumas animações ganham tanta popularidade que acabam recebendo seus próprios títulos nos videogames. Nós separamos uma lista com dez dos melhores jogos de anime, que podem muitas vezes não ter uma história muito complexa ou os melhores gameplays, mas que com certeza irão agradar os fãs do gênero! Confiram o vídeo completo abaixo: 

Attack on Titan 2

INFO

(Fonte: Amazon/Reprodução)

 Desde o lançamento do anime em 2021, Shingeki no Kyojin conquistou milhares com todos seus mistérios, reviravoltas e batalhas angustiantes. Por esse motivo, não podia ficar fora da lista.

Attack on Titan 2 foi desenvolvido pela Koei Tecmo e Omega Force, sendo lançado em 2018 para PlayStation 4, Xbox One, Nintendo Switch e PC.

A trama segue a segunda temporada do anime, interligando acontecimentos com uma história secundária feita sob a supervisão do próprio mangaká da obra, Hajime Isayama.

O gameplay é rápido e fluido, sendo possível jogar com 37 personagens diferentes (além do avatar criado pelo jogador logo de começo), uma verdadeira imersão no mundo tomado por titãs. O legal é que fora das batalhas, existe a possibilidade de interagir com NPCs e fortalecer suas relações com eles, o que garante combos mais poderosos na hora de derrotar os inimigos.

Bleach: Dark Souls

bçs

(Fonte: Reprodução)

Durante muitos anos, o mangá e anime de Bleach cativou uma legião de fãs aqui no Brasil e em todo mundo. Sendo assim, não poderíamos deixar de falar de Bleach: Dark Souls, que foi desenvolvido pela Treasure, e saiu para Nintendo DS em 2007 no Japão, e entre 2008 e 2009 no resto do mundo.

O título é uma continuação direta do bem-sucedido jogo de luta Bleach: Blade of Fate, e sua história se passa logo após a deserção de Aizen da Soul Society, quando algumas Mod Souls especiais são acidentalmente descobertas por um membro do Departamento de Pesquisa e Desenvolvimento. Ao serem contaminadas com ódio, elas se transformam em cópias de Hollows, causando estragos por todo o Seireitei.

Seguindo um estilo de luta arcade, este segundo título traz um número maior de lutadores, além de contar com novos personagens e outros muito conhecidos, mas com versões atualizadas. O modo multiplayer também foi melhorado em relação ao primeiro game, sendo mais acessível aos jogadores, e graças às funcionalidades Wi-Fi do DS, é possível curtir partidas online com até quatro jogadores.

Um dos recursos legais é a Bleachpedia, uma grande biblioteca com informações essenciais sobre os personagens, descrições dos ataques e um glossário imenso de termos próprios do mundo do anime.

Cavaleiros do Zodíaco: Alma dos Soldados

hgvt

(Fonte: Reprodução)

 Os Cavaleiros do Zodíaco é um anime que traz um sentimento nostálgico para muitos, e é considerado um dos duradouros da indústria japonesa, dando origem a vários jogos.

Um dos mais recentes é Alma dos Soldados, desenvolvido pela Dimps e Namco Bandai Games e lançado para PS3, PS4 e PC em 2015.

Neste game de luta em 3D, os fãs têm acesso a diversos personagens, e todas as sagas do anime são apresentadas fielmente. O gameplay conta com três modos diferentes, sendo eles: Lenda do Cosmo, Batalha Vs. E Batalha de Ouro.

O primeiro é basicamente o modo história, no qual é possível jogar momentos famosos, como a Saga das Doze Casas, de Asgard, de Poseidon e de Hades.

O segundo é um multiplayer com lutas personalizadas, contando com onomatopeias do mangá ao finalizar um oponente com um combo, a possibilidade de retirar ou colocar os elmos dos Cavaleiros de Ouro antes da luta, e Frases de Assistência, que ajudam no ataque e na defesa do personagem durante as batalhas.

O terceiro, Batalha de Ouro, é uma história alternativa exclusiva desse título, mostrando o renascimento dos cavaleiros de ouro em Asgard, sendo focado em combates entre os mais fortes guardiões de Atena e suas novas armaduras (que foram apresentadas em Saint Seiya: Soul of Gold).

Em geral, o game apresenta algumas falhas, com os combates sendo um pouco repetitivos, mas a dublagem em português com as mesmas vozes do desenho original compensa qualquer problema.

Digimon World: Next Order

ihugyug

(Fonte: Bandai Nanco Entertainment/Reprodução)

Este RPG de mundo aberto foi desenvolvido e distribuído pela Bandai Nanco Entertainment, foi lançado primeiro no Japão para PlayStation Vita em 2016, recebendo uma versão internacional para PlayStation 4 em janeiro de 2017.

A história do jogo gira em torno de dois possíveis personagens principais, os alunos japoneses do ensino médio Takuto e Shiki. Os dois são transportados para o Mundo Digital, onde encontram seus parceiros Digimon, incluindo Agumon, Gabumon, Biyomon e Palmon. Durante sua jornada, outros colegas de classe se juntam a aventura, como Kouta Hirose, que tem um Guilmon com parceiro, e Himari Oofuchi com sua Salamon.

O gameplay envolve controlar um dos personagens humanos e seus dois parceiros Digimon. Logo no começo, o jogador já pode escolher entre dez companheiros diferentes, que irão crescer e evoluir ao longo do desenvolvimento do jogo, participando de batalhas e interagindo com seu “dono”.

Os jogadores podem aumentar o vínculo com seus monstrinhos digitais através de elogios, broncas, comida ou oferecendo itens. Juntos, eles devem viajar por vários ambientes, completando objetivos e avançando na história, interagindo com NPCs e lutando contra os inimigos que encontrarem.

Os combates ocorrem em tempo real, com o companheiro Digimon agindo automaticamente através de uma estratégia de IA, mas o jogador pode parar a batalha para emitir comandos ou usar itens restauradores. Além disso, é possível alternar entre seus companheiros na batalha para usar certas ordens ou instigar uma evolução especial onde os dois irão se fundir temporariamente, como no caso Omegamon, a famosa fusão de Metal Garurumon e Wargreymon.

Contando com mais de 232 criaturas digitais disponíveis, Next Order apresenta muitos recursos similares aos primeiros jogos da franquia Digimon Word, lançados para PS1. Uma ótima opção para os fãs que sempre quiseram ser um Digiescolhido.

Dragon Ball Z: Kakarot

kbhjhvghv

(Fonte: PlayStation/Reprodução)

 Dragon Ball é uma obra extremamente famosa que gerou diversos games. O mais atual, Dragon Ball Z: Kakarot é um RPG de mundo aberto, desenvolvido pela CyberConnect2, que foi lançado em janeiro deste ano para PlayStation 4, Xbox One e PC.

O jogo é uma excelente viagem nostálgica para os fãs, recontando eventos dos quatro arcos principais do anime: Saiyajins, Freeza, Cell e Majin Buu. Além disso, ainda apresenta histórias e batalhas inéditas, chegando até a complementar em alguns momentos a trama original da animação.

No gameplay, a exploração do mundo é um dos principais focos, permitindo que o jogador voe por diversas áreas e realize vários tipos de missões diferentes, sendo que algumas envolvem atividades mais cotidianas, como: pescar, caçar e preparar refeições. Ao progredir na história e concluir treinamentos, é possível desbloquear novos golpes dos personagens. Inclusive, Goku e seus amigos só podem se tornar Super Saiyajins, depois de finalizar os arcos de Freeza e Cell.

Para quem ficou curioso e quer saber mais sobre o game, vale a pena dar uma lida na nossa análise.

Jump Force

ugyf

(Fonte: Steam/Reprodução)

 Este jogo foi desenvolvido pela Spike Chunsoft e publicado pela Bandai Namco Entertainment em fevereiro de 2019 para PC, PlayStation 4 e Xbox One. Ele foi idealizado como uma forma de comemoração dos 50 anos da revista Shonen Jump, apresentando mais de 40 personagens de 15 séries de anime diferentes, como: Yu Yu Hakusho, Hunter x Hunter, One Piece, Bleach, Naruto, Dragon Ball, Yu-Gi-Oh e muito mais.

A história por trás da união de todos estes personagens é que o mundo está prestes a ser dominado por criaturas malignas, então, a organização Jump Force reúne diversos heróis para cuidar da ameaça. A missão do jogador é acabar com os cubos maléficos que tomaram o universo, estejam eles dentro dos chefões ou contaminando os mocinhos.

O gameplay deste jogo de luta envolve combates de um contra um, com o jogador controlando uma equipe de três personagens, utilizando vários combos e movimentos especiais para atacar seus oponentes. É possível alternar entre os três escolhidos durante a batalha, e enquanto um membro da equipe está enfrentando o rival, os outros dois servem como suporte.

Jump Force tem sim os seus problemas, seu modo campanha é um pouco confuso, o game apresenta quedas de performance e as cutscenes poderiam ser melhores, mas a junção de tantas figuras icônicas em um só lugar e a diversão de poder combiná-los em batalha faz valer muito a pena jogar este título. Se bateu a curiosidade e quiser saber mais, dê uma olhada nessa análise!

My Hero: One’s Justice 2

\h\bjhbhzzjh

(Fonte: Steam/Reprodução)

Boku no Hero Academia é um anime shounen relativamente novo, mas que já mostrou muito potencial desde o começo. Ele passou a ganhar espaço no mundo dos consoles em 2018, se consolidando no mercado com o lançamento de My Hero: One’s Justice 2 em 13 de março deste ano para PlayStation 4, Xbox One, Nintendo Switch e PC.

Este jogo de luta retrata acontecimentos das últimas temporadas, como o arco da licença provisória e batalha contra o vilão Overhaul. O mais legal é que no modo história, é possível acompanhar a trama através da perspectiva dos vilões também.

O gameplay é simples, não sendo voltado para o mundo de e-Sport, então qualquer um pode se familiarizar facilmente com os comandos, e com poucos botões já é possível desferir golpes poderosos e combos muito divertidos.

Mesmo com seu recorte de roteiro meio esquisito, que pode confundir aqueles que não conhecem o que rolou no anime, vale a pena conferir o game, que acerta muito na representação dos heróis e vilões da série. Para aqueles que quiserem saber mais, que tal dar uma conferida na análise?

NARUTO SHIPPUDEN: Ultimate Ninja Storm 4

ghfjhkj

(Fonte: Steam/Reprodução)

 Naruto é outro título que rendeu muitos jogos ao longo de sua história. E vários deles foram excelentes, mas aqui vamos falar do Ultimate Ninja Storm 4, outro título da CyberConnect2, que foi lançado em 2016 para PlayStation 4, Xbox One e PC. O game foi o último desta franquia, e sua história se concentra no final do anime.

O gameplay é fluido e divertido, fazendo um bom uso dos efeitos especiais, o que combina muito bem com o ritmo acelerado e empolgante das lutas entre ninjas. O número de personagens disponíveis é gigantesco, sendo possível jogar as com todos os nomes mais famosos da série, e ainda dá para trocar o líder da sua equipe a qualquer momento, o que adiciona ainda mais estratégia na escolha do trio.

Mesmo repetindo as mecânicas de seus antecessores, Ultimate Ninja Storm 4 ainda é uma boa opção para os fãs do anime.

One Piece: Pirate Warriors 4

uahuahua

(Fonte: Steam/Reprodução)

Desenvolvido pela Omega Force, Pirate Warriros 4 foi lançado pela Bandai Namco Entertainment este ano para PS4, Xbox One, Nintendo Switch e PC, sendo uma continuação direta do terceiro jogo da franquia, que foi lançado em 2015.

O legal deste jogo é que dá para acompanhar a história de Alabasta até o país de Wano, uma forma dos fãs de carteirinha relembrarem seus momentos favoritos e também serve como um modo de instruir aqueles que não estão familiarizados com as aventuras de Luffy.

Seguindo um gameplay no estilo da franquia Dynasty Warriors, a pancadaria come solta, com uma multidão de inimigos na tela. Uma diferença de seus antecessores é que o game apresenta um novo modo chamado Titan, no qual os oponentes ficam bem maiores, forçando o jogador a ajustar sua estratégia, além de quatro novos modos multiplayer.

Mesmo não se diferenciando muito dos jogos anteriores, este título oferece muita nostalgia e diversão para quem acompanha o anime desde o começo, e ainda serve com um bom resumo da trama.

Yu-Gi-Oh: Forbidden Memories

jgfj jj

(Fonte: Reprodução)

 Lançado pela Konami primeiramente em 1999 no Japão, e depois em 2002 no resto do mundo, este game oferece uma das experiências mais próximas ao Trading Card Game do anime.

Durante a maior parte do jogo, o protagonista é Atem, príncipe do Antigo Egito, que está tentando libertar seu povo do controle do sumo sacerdote Heishin, após o mesmo derrubar o faraó. A outra parte se passa nos tempos modernos, com o jogador vivendo o papel de Yugi Mutou. O garoto estava participando de um torneio quando recebe a tarefa de recuperar relíquias que o príncipe precisa para concluir sua missão, que estão em posse de alguns dos outros participantes.

O gameplay permite desafiar amigos para duelos, além de personagens famosos da série, como Yugi, Bakura, Joey, Seto Kaiba e Pegasus.

Se você gosta do TCG de Yu-Gi-Oh, Forbidden Memories com certeza será uma ótima experiência.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.
Voltar para notícia
Carregando...
Comentários
Carregando...
Este comentário foi apagado. Desfazer
+1
-1
Este comentário foi apagado. Desfazer
Responder Excluir Editar
+1
-1
Ver mais comentários Ver mais comentários