Voxel

Mighty No. 9 arrecada quase US$ 4 milhões e promete grandes atrativos

Último Vídeo

Reprodução/Kickstarter

Conforme noticiamos no início do mês passado, a Comcept USA (companhia formada por Keiji Inafune e outros ex-veteranos da Capcom) abriu um projeto de arrecadação de fundos no Kickstarter para o desenvolvimento do jogo Mighty No. 9.

O game chamou muita atenção por trazer como protagonista um robô em tons de azul e munido de poderosas armas em suas mãos, trazendo aos jogadores uma associação direta ao lendário Mega Man.

Embora este título traga boas lembranças de uma das mais famosas franquias da história dos video games, a equipe de produção do Mighty No. 9 garante que ele conta com uma jogabilidade reimaginada e melhorada — isso sem contar a óbvia melhoria gráfica. Como previsto, a campanha no Kickstarter foi finalizada na última terça-feira, dia 1º de outubro. A arrecadação não poderia ter sido melhor e, no final, quem sai ganhando são os jogadores.

Já vi isso em algum lugar

Em Mighty No. 9, você poderá acompanhar a aventura de Beck, o nono robô de uma série de autômatos extremamente poderosos (percebeu alguma familiaridade nessa trama?). Inesperadamente, todos os “irmãos” desse protagonista foram infectados por um vírus de computador — malware que tinha como objetivo tornar os androides malignos.

Reprodução/Kickstarter

Como você deve imagina, a missão de Beck é tentar erradicar essa ameaça, podendo destruir os seus semelhantes se preciso. Uma das peculiaridades desse personagem, assim como o famoso Mega Man, é a sua capacidade de absorver poderes dos inimigos e de mudar sua estrutura física, tanto para ter novos ataques quanto para se transformar.

Além disso, ao derrotar inimigos e chefões, Beck é capaz de coletar uma energia chamada “Xel”, a qual permite que ele ative novas skills, fornecendo bônus temporários de velocidade, saltos, combos de golpes, entre outros.

A resposta às contribuições

Desde o início da campanha do Mighty No. 9 no Kickstarter, a Comcept havia estipulado alguns bônus, que foram sendo atualizados ao longo do período vigente da arrecadação, de acordo com o dinheiro angariado.

Reprodução/Kickstarter

Ao final, o projeto contou com a colaboração de 67.226 pessoas, totalizando US$ 3.845.170 (cerca de R$ 8,5 milhões) — valor bem superior à meta inicial de US$ 900 mil. Se somadas as doações feitas pelo PayPal, esse valor ultrapassa os US$ 4 milhões e bae todas as metas estipuladas pela empresa.

Com isso, o jogo deve ser lançado em todas as plataformas. Todas mesmo. O jogo estará disponível (pelo menos essa é a promessa) para PC, Mac, Linux, PS3, Xbox 360, Wii U, PS Vita, Nintendo 3DS, PS4 e Xbox One.

A grana arrecadada também garantiu maior variedade de estágios, chefões e modos de jogo, incluindo uma modalidade online cooperativa. Aproveitando o gancho, a companhia colocou em votação como seria o visual de Call, a companheira de Beck nesse modo colaborativo.

Reprodução/Kickstarter

Foram listadas nove opções de design para essa personagem. Aqueles que realizavam uma contribuição financeira com o projeto podiam votar e ajudar nessa decisão. As três finalistas foram as “modelos” E, F e H. Em breve, a desenvolvedora deve anunciar a heroína robótica vencedora.

Som de primeira

A trilha sonora de Mighty No. 9 promete ser, no mínimo, excelente. Isso porque a equipe que irá compor as canções que animarão a jogatina dos gamers é formada por grandes nomes da área, como Takashi Tateishi, Manami Matsumae e Ippo Yamada — criadores das soundtracks de diversos títulos de sucesso, incluindo Mega Man 2 e Mega Man 10.

Primeiros testes

Recentemente, a Comcept divulgou o primeiro vídeo exibindo os testes iniciais do Mighty No. 9, que usa como engine gráfica a Unreal Engine — a mesma utilizada em Mass Effect, Bioshock Infinite e Gears of War, por exemplo. É válido salientar que esses são os primeiros passos do jogo e essas cenas podem não representar a mobilidade, dinâmica d ejogo e efeitos visuais finais do título.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.