Mortal Kombat X está ficando incrível, nós testamos na BGS

Mortal Kombat X está ficando incrível, nós testamos na BGS

Último Vídeo

Durante a BGS 2014, tivemos a oportunidade de testar o game Mortal Kombat X. O novo capítulo da série trouxe muitas inovações em relação ao game anterior, mas apesar disso ele conseguiu manter a sua essência e continuar com tudo o que fez sucesso.

A influência de outros games também pode ser vista na jogabilidade do novo Mortal Kombat, principalmente Injustice: Gods Among Us. A equipe de desenvolvimento empregou elementos como a interatividade dos cenários, e isso pode ser uma tática incrível durante as lutas.

Os cenários são belos e incrivelmente complexos, cheios de detalhes em movimento. Em um cenário em especial é possível ver as ondas do mar quebrando na borda do cenário enquanto a luta acontece.

Os cenários trazem diversos pontos diferentes de interação e esses pontos podem funcionar de formas diferentes: enquanto uns funcionam como uma espécie de trampolim para que o seu jogador seja arremessado para longe do adversário, outros podem ser utilizados como arma.

No cenário do mercado, por exemplo, várias pessoas caminham pelas ruas, inclusive uma pobre senhora. A parte mais maluca é que você pode transformá-la em uma arma e arremessá-la sobre o adversário. Ao acertar o inimigo, a pobre vítima (a senhora, nesse caso) se arrasta para fora do campo de batalha apenas para morrer lentamente. Trágico, e sadicamente divertido.

Nesse mesmo cenário também existe um animal selvagem que pode servir de plataforma para voar para longe do inimigo. Basta pisar sobre ele enquanto ele dorme no meio da luta.

Já no cenário da floresta, os elementos chave são as árvores. Enquanto alguns galhos servem como arma, outros funcionam como plataforma. Tudo se encaixa perfeitamente na ação e esses movimentos podem ser executados de forma natural. Basta pressionar um botão para estar atrás do inimigo num piscar de olhos, por exemplo. Um elemento que certamente vai trazer mais diversão para as lutas.

Lutadores e estilos de luta

Outra novidade presente no jogo são os diferentes estilos de luta que cada um dos personagens possui. É possível selecionar entre até três variações de cada um deles. O mais legal é que as mudanças são relativamente sutis, ou seja, a maioria dos movimentos especiais continua igual, com pequenas exceções. A principal mudança pode ser na forma como esses golpes atingem os adversários e na estratégia de luta, pois o personagem pode estar mais lento ou mais rápido que antes.

Isso permite estratégias diferenciadas para os mesmos personagens, como o próprio Ed Boon falou: “você poderá esclher o Sub-Zero A para lutar contra o Raiden A e perder, mas poderá descobrir que o Sub-Zero B é mais eficiente para lutar contra esse inimigo.”

A jogabilidade é bem próxima do game anterior: os combos e juggles continuam presentes e são a chave para a vitória. Contudo, a movimentação agora é mais livre, o que deve impedir as famosas “apelações”. Para combater esse tipo de coisa, inclusive, agora é possível escapar de diversas maneiras, como pulando para longe ou jogando alguma coisa na cara do inimigo.

Os comandos e movimentos parecem estar mais leves que no game anterior, e isso acaba tornando o game mais acessível a quem não tem muita familiaridade com games de luta.

Outro ponto que chamou a atenção foram os detalhes gráficos. A nova engine utilizada no game permite efeitos especiais impressionantes, como as “faíscas” que saem do corpo do Scorpion a medida que ele se movimenta. Tudo é incrivelmente bem preparado e esse tem tudo para ser um jogo belíssimo, visualmente falando.

Nós testamos as duas versões do jogo, tanto para Xbox One quanto para PlayStation 4. Os detalhes dos cenários, efeitos especiais, partículas e a velocidade do jogo são exatamente iguais em ambas as versões, com um único detalhe: a versão para o console da Microsoft parece ter uma resolução um pouco mais baixa. Porém, vale lembrar que essa é uma versão beta, e o jogo será lançado apenas em 2015.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.