Voxel

Um mundo lindo e cheio de robossauros em vídeo de Horizon: Zero Dawn na TGS

Último Vídeo

A Guerrilla Games mostrou, na Tokyo Game Show 2015, um material do promissor Horizon: Zero Dawn, game que sustenta altas expectativas por vir das mesmas mãos da equipe por trás da bem-sucedida série Killzone. É o mesmo conteúdo da E3 jogado ao vivo. O vídeo mostra mais alguns elementos do sistema de caça necessário no enorme mundo aberto, que mistura cenários primitivos com tecnologias de robótica.

A demonstração foi registrada ao vivo no evento do Japão – e por isso a qualidade está baixa. Repare que um intérprete oriental traduz as falas do apresentador em inglês. A exibição mostra a personagem principal, Aloy, caçando as criaturas chamadas de “Grazers” (os "robossauros") com o objetivo de recuperar recursos necessários para sobrevivência de uma tribo local.

O desenvolvedor que conduz a demonstração enfatiza que o mundo de Horizon é grande, aberto e totalmente explorável. O stealth também é um elemento ressaltado pela equipe e deve ser um componente crucial em determinadas abordagens. Nesse contexto, o uso da grama se faz necessário para que o jogador consiga se aproximar dos inimigos despercebidos e, assim, planejar um ataque mais estratégico – além de evitar o confronto com os colossais “Thunderjaws”, criaturas enormes.

Equipe ficou em dúvida sobre protagonista feminina

A Guerrilla Games disse que sempre quis uma protagonista feminina em Horizon: Zero Dawn, desde a concepção inicial, mas ressalta que a equipe discutiu muito sobre essa decisão internamente.

O próprio presidente mundial da Sony, Shuhei Yoshida, afirmou que a decisão de lançar um projeto AAA com uma protagonista mulher seria “arriscado”, mas a repercussão positiva mostra que o mercado (leia-se jogadores) aceitou muito bem essa ideia. A ambientação, que traz uma espécie de disputa entre máquinas e armas primitivas, também ajuda bastante. Sem falar que um RPG em mundo aberto nunca é descartável.

Vai ter multiplayer?

Não exatamente. A equipe já afirmou que “o núcleo do jogo é a experiência single player”, mas acrescentou que o game terá “certos recursos sociais”. Portanto, nada de multiplayer competitivo aqui.

Diretor de Dead Island 2 vai trabalhar em Horizon

Outra curiosidade sobre a produção de Horizon: Zero Dawn diz respeito a um novo membro do panteão de desenvolvimento: Bernd Diemer, agora ex-diretor de Dead Island 2. O artista anunciou a novidade em seu Twitter. “Robossauros! Guerrilla! E eu! Estou muito empolgado”, escreveu no microblog.

Diemer, que anteriormente atuou na Crytek e, mais recentemente, na Yager Development, não especificou que papel vai exercer no projeto. A Yager, para efeitos de informação, era o estúdio responsável por Dead Island 2, mas que se desligou da Deep Silver por "falta de alinhamento". A publisher busca agora novos parceiros para o game.

A julgar pelo que vimos até aqui e pela bagagem que a Guerrilla tem – agora com reforços de peso –, Horizon: Zero Dawn parece ter uma proposta encantadora. O game será lançado exclusivamente para PlayStation 4 em 2016.

Horizon: Zero Dawn ganha novo vídeo e parece ser um open-world viciante! O que você está achando da proposta? Comente no Fórum do TecMundo Games.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.