Voxel

Newell fala porque sequências de Half-Life não são prioridade da Valve

Último Vídeo

Em entrevista ao Washington Post, o cofundador da Valve Gabe Newell falou sobre o funcionamento interno da empresa e a forma como as escolhas sobre seu direcionamento afetaram os funcionários. Embora não tenha citado especificamente Half-Life 3, ele explicou porque a companhia não dá prioridade às sequências e demonstrou estar ciente do enorme desejo dos fãs.

“Quando começamos éramos uma firma de video games single-player que poderia ter alcançado bastante sucesso apenas por fazer sequência após sequência de Half-Life, mas nós decidimos coletivamente tentar fazer jogos multiplayer mesmo que nunca tivesse existido um game para vários jogadores que deu certo comercialmente”, disse.

Após isso, Newell afirmou que o foco passou a ser o Steam, ainda que algumas pessoas de dentro da Valve achassem que isso seria uma péssima ideia. “Eles falavam coisas como ‘se é isso que você quer fazer com o seu tempo, tudo bem, mas nós vamos gastar o nosso trabalhando em Half-Life 2. Achamos que você meio que está desperdiçando seu trabalho, mas isso é uma decisão sua’”, pontou.

Fórmula do sucesso

Obviamente, a disponibilidade da Valve para tentar coisas novas e sua capacidade de se adaptar a tendências em constante mudança foram coisas que trouxeram um enorme sucesso para a companhia, com o Steam atingindo a marca de 7,6 milhões de usuários simultâneos no final de 2013.

Para Newell, essas características são facilitadas pela estrutura organizacional única da empresa, na qual não existem nomes para os cargos e a flexibilidade para os projetos e de tempo ganha ênfase. Isso, segundo o cofundador, liberta seus funcionários de terem que se isolar em apenas um papel ou produto.

O objetivo é que a equipe da empresa “reconheça que ser muito bom no desenvolvimento de níveis para Half-Life não é tão importante quanto pensar em como criar experiências sociais para multiplayer. As empresas costumam fazer com que seus funcionários pensem que há uma organização e um cargo os amarrando a algo, quando na verdade a chave é apenas continuar a seguir para onde os consumidores estão indo”, explicou.

Olhos e ouvidos atentos

De fato, a Valve está sempre se movendo e se adaptando de acordo com os gostos em constante mutação. No entanto, isso não impediu que a enorme fome por sequências e os gritos incessantes dos fãs transformassem Half-Life 3 em uma espécie de piada na indústria de jogos e um meme pela internet afora.

Newell demonstrou ainda que a empresa está atenta aos desejos do público. “De certa forma, nós definitivamente temos um exército de consumidores que estão sempre nos ajudando a permanecer honestos. Em essência, nós distribuímos a supervisão de muitas dessas decisões para os nossos clientes, e isso funciona muito melhor do que quase qualquer outro sistema que poderíamos criar. Eles são frenéticos e apaixonados, e há muitos deles”, concluiu.

E você, o que acha do rumo que a Valve tomou? Deixe suas opiniões e teorias de “Half-Life 3 confirmado” nos comentários.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.