Nintendo considera o fim do bloqueio de região para os aparelhos

Nintendo considera o fim do bloqueio de região para os aparelhos

Último Vídeo

Algo que incomoda muito os fãs da Nintendo é o bloqueio de região para os seus aparelhos. Comprar um console ou um portátil europeu que não funcionará com jogos americanos é só um dos exemplos que geraram atritos para a empresa nos últimos tempos. Mas os jogadores podem receber uma boa notícia em breve: o presidente da companhia, Satoru Iwata, comentou em uma sessão de perguntas e respostas para os investidores que a Big N já considera alterar a sua tão questionada estratégia de mercado.

“O mercado de games tem uma história de tomar muito tempo com a localização e com outros fatores, como negociar com vários problemas de marketing em cada um dos países ou trabalhar com jogos que não contam com licenças globais”, comentou Iwata, se preocupando em explicar as razões por trás da trava. “Tendo todos esses quesitos, o bloqueio de região existiu por conta das circunstâncias que pendiam mais para o lado dos vendedores do que dos clientes”.

“No que diz respeito sobre nosso futuro, se desbloquear trará um benefício para os clientes, sabemos que isso também pode trazer um benefício para nós. Por outro lado, essa ação também precisará que os vários problemas sejam resolvidos, então, enquanto não posso dizer hoje se vamos ou não desbloquear os consoles, nós entendemos que esta é uma das coisas que temos que considerar ao olhar para o futuro”, finalizou Iwata.

Esta pode ser uma excelente notícia para quem sempre quis saborear os jogos da empresa com a mesma data ou disponibilidade do lançamento oriental — ou ainda comprar os títulos e consoles sem se preocupar com a região de cada um deles. Exemplo recente disso se passou na chegada de Fatal Frame: Oracle of the Sodden Raven, exclusivo para o Wii U japonês e que movimenta até hoje uma intensa campanha pelas redes sociais pelo lançamento no outro lado do globo.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.