Voxel

Nintendo é alvo de campanha contra o trabalho escravo [vídeo]

Último Vídeo

Organizações ao redor do mundo lutam contra o uso de trabalho escravo por grandes empresas. Uma dessas organizações é a Walk Free, que resolveu ir atrás de respostas de uma das maiores companhias no ramo de video games: a Nintendo.

Em um vídeo postado no seu site, a Walk Free utiliza paródias de personagens da Nintendo para aumentar a chance de ter uma resposta clara da empresa de que ela não utiliza minerais recolhidos através de trabalho escravo em locais problemáticos, como a República Democrática do Congo.

A campanha foi criada pelo fato de a Nintendo não se pronunciar ou dar mais informações sobre as companhias que trabalham na fabricação dos seus produtos.

“Nós não estamos brincando com o problema, mas sim mostrando a situação absurda gerada pela falta de comunicação com a Nintendo. Como uma das maiores companhias de video game do mundo, ela deveria estar dando exemplo para outras empresas e mostrar que trabalha com fábricas livres do trabalho escravo”, disse Debra Rose, diretora do Walk Free.

Nintendo responde

Em um comunicado enviado ao site MCV, a Nintendo se pronunciou sobre a campanha iniciada pela Walk Free. De acordo com a mensagem, a empresa trabalha com parceiros na fabricação e montagem de seus produtos, não estando envolvida com a origem dos materiais que são utilizados.

Mesmo assim, a "Big N" afirma se preocupar com suas responsabilidades sociais e, como uma empresa global, espera que suas parceiras atuem da mesma forma. Por esse motivo, a Nintendo criou uma lista de regras as quais as fábricas terceirizadas devem seguir.

Essas regras foram criadas com base em diversas leis, assim como padrões internacionais que visam proteger os direitos humanos, proporcionando um local de trabalho seguro. Essas regras também cobram informações sobre a origem das matérias-primas, buscando não utilizar materiais coletados de maneira ilegal.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.