Voxel

Nova direção impediu que Castlevania seguisse o caminho de Mega Man

Último Vídeo

Img_normal
Embora tenha incomodado alguns fãs dos games clássicos da série Castlevania, Lords of Shadow se provou uma aposta certeira da Konami no que diz respeito a lucros — tanto é que uma sequência do game está próxima de ser lançada. O resultado obtido foi tão satisfatório que esse se tornou o jogo da produtora que mais vendeu nos Estados Unidos em seu ano de estreia.

Para o produtor Dave Cox, essa é a prova de que às vezes abandonar regras pré-estabelecidas é a solução mais viável. Em uma entrevista concedida à revista Edge, ele afirmou que não se arrepende de ter mudado aspectos como a história, os personagens e a jogabilidade típicas à franquia.

“Precisávamos fazer uma mudança, então a fizemos. A série Castlevania não estava indo a lugar nenhum, as vendas estavam diminuindo e somente os fãs mais hardcore a estavam acompanhando. É assim que franquias morrem. O sucesso de Lords of Shadow provou a todos que há vida na série e que as pessoas podem aceitar novas direções, algo que podemos fazer novamente. Temos que nos arriscar para sobreviver, de outra maneira vai ser que nem aconteceu com Mega Man”, declarou Cox.

Declaração polêmica

Embora as declarações do produtor sejam polêmicas, mesmo o fã mais ardoroso do robozinho azul deve reconhecer sua veracidade. Depois de amargar anos com títulos cada vez mais esquizofrênicos, parece que a mascote da Capcom não deve aparecer tão cedo em um novo game — prova disso é o cancelamento de Mega Man Legends 3, Mega Man Universe e do FPS que levaria o nome do personagem.

Por mais que a série Castlevania continuasse viva nos portáteis da Nintendo, fazia certo tempo que ela não emplacava um sucesso nos consoles. Prova disso é o fato de que, até o lançamento de Lords of Shadow, Symphony of the Night (lançado em 1997) era a última lembrança boa que os fãs da franquia tinham de um título disponível nas principais plataformas do mercado.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.