Novo título da Epic deve forçar os limites da oitava geração
157
Compartilhamentos

Novo título da Epic deve forçar os limites da oitava geração

Último Vídeo

De acordo com o cofundador da Epic Games, Tim Sweeney, o estúdio responsável pela Unreal Engine 4 tem atualmente nas mangas um título que deve “forçar os limites” da oitava geração de consoles — notadamente, o Xbox One e, eventualmente, também o PlayStation 4.

Segundo ele, o efeito do novo blockbuster deve ser similar ao conseguido pelo primeiro Gears of War, logo nos primeiros anos do Xbox 360. “Ele vai extrair o máximo dos gráficos da nova geração, de acordo com o que vocês sempre esperaram em relação à Epic”, disse Sweeney em entrevista à revista britânica Edge.

Enxurrada third party

Mas a coisa ficou mesmo na promessa vaga, já que nenhum detalhe adicional sobre o jogo misterioso foi mencionado. Em compensação, o executivo falou de diversos títulos baseados na nova Unreal Engine, os quais encontram-se atualmente em desenvolvimento nos fornos de companhias third party.

“Há muitos games a caminho, e um número consideravelmente grande deles ainda não foi anunciado”, disse Sweeney. “Vocês verão muita coisa AAA [blockbusters com amplo aporte financeiro] aparecer em seu devido tempo.”

Não obstante, ele observa que muitos desses títulos pesos-pesados não representam, propriamente, o padrão blockbuster hoje conhecido. “A indústria está mudando”, afirma. “Esta geração parece conter apenas um terço do volume de títulos AAA em desenvolvimento através da indústria, em relação à geração anterior.”

Sweeney observa, entretanto, que esses blockbusters relativamente raros apresentam, não obstante, verbas “três vezes” maiores do que o típico aporte da sétima geração. “Eu penso que nós rumamos para um futuro no qual os [jogos] AAA serão a minotir”, conclui.

Epic: foco na Unreal Engine 4

Durante a entrevista ao referido veículo, Tim Sweeney sugeriu também que, no momento, a preocupação maior da Epic Games está com a promoção do seu novo motor de jogo, o Unreal Engine 4. “Se você observar o que anda no radar das pessoas neste momento, você provavelmente dirá que ‘a Epic será apenas uma companhia de engines daqui em diante.”

Ele continua: “Entretanto, se o mesmo ocorresse em 2006, 2008 ou 2011, você provavelmente diria que ‘a Epic será apenas uma companhia de jogos daqui em diante’ — ocorre simplesmente que as coisas ficam nesse pingue-pongue constante entre essas duas frentes”.

Sweeney afirma que, no momento, a Epic mantém “mais de 100 engenheiros” de software em todo mundo trabalhando exclusivamente com a Unreal Engine 4. “E há também mais de 100 contribuidores desenvolvendo globalmente para a Epic e contribuindo para os nossos jogos, de forma que tudo é realmente inseparável — o motor de jogo é baseado no feedback gerado pelo processo de desenvolvimento dos nossos jogos.”

Engine poderosa e amigável

A Unreal Engine 4 tem ganhado terreno entre os desenvolvedores não apenas por seu enorme poder de foto, mas também por ser uma plataforma considerada “amigável” ao desenvolvimento — sendo mesmo capaz de contrabalancear os gastos necessários com a transição para os novos hardwares.

Resta, portanto, um mostruário adequado. “No início da geração passada, nós utilizamos Gears of War como uma demonstração do poderio da engine e de suas características”, disse Sweeney à Edge. “Desta vez, estamos tentando utilizar Fortnite para mostrar a amplitude do motor de jogo independentemente de suas capacidades gráficas”, afirmou o executivo, lembrando do título que deve ser o primeiro a utilizar a Unreal Engine 4.

No que se refere às plataformas possíveis, entretanto, a Epic se diz “totalmente dedicada ao Xbox One”. Agora é esperar pelo que deve ser o Gears of War desta geração — e é provável que algo seja levado para a próxima edição da feira E3 (Electronic Entertainment Expo), a ser realizada entre os dias 10 e 12 de junho. Fique ligado para a cobertura completa do BJ.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.