Voxel

Ouvir consumidores foi um erro da Microsoft, afirma pioneiro dos MMOs

Último Vídeo

Fonte da imagem: Reprodução/Karen Levine
Para o veterano dos MMOs Jesse Schell, a notícia de que a Microsoft voltou atrás quando às políticas de jogos digitais do Xbox One foi um erro, motivado por uma empresa e público incapazes de mudar e seguir em frente. Ele se junta ao coro de David Darling, fundador da Codemasters, que também criticou a empresa na semana passada.

Na visão do designer, a Microsoft estava tentando dar aos jogadores o equivalente ao Steam para consoles, mas o próprio público não é capaz de enxergar isso. Foi daí que vieram todas as reações negativas às políticas de DRM do Xbox One, que resultaram em proclamações de uma vitória da Sony durante a E3 e na modificação completa na abordagem da fabricante em relação a seu novo video game.

Schell vai além, afirmando que ouvir única e exclusivamente aos consumidores vai contra a cultura da inovação, que consiste em apresentar às pessoas novas tendências antes mesmo que elas saibam se as querem ou não. É justamente por isso que muitas companhias parecem fadadas ao fracasso quando apresentam um produto revolucionário e prosperam caso o material seja realmente de qualidade.

O outro lado da moeda também procede. Companhias que se mantêm fazendo a mesma coisa por anos e anos falham quando a tecnologia evolui. Na tentativa de fugir das críticas de seus “fieis consumidores”, elas acabam cometendo justamente o erro que, mais tarde, fará com que sua base de fãs os abandone.

Inexistência e sucesso

Para Schell, o único motivo pelo qual a Valve conseguiu criar o Steam e ter tanto sucesso com ele foi a inexistência de um modelo semelhante no passado. Caso algo assim existisse, o designer afirma com certeza que os fãs criticariam as novidades apresentadas pela empresa e acabariam matando o serviço antes mesmo de sua criação.

Consumidores querem algo exatamente igual ao antigo, mas completamente diferente, conclui o designer. Ele indica que a única maneira de atingir essa equação é criar um produto alternativo, algo que muitas empresas são hesitantes em fazer. E esse tipo de pensamento, afirma, acaba propiciando a entrada de novas empresas no mercado, que fazem coisas que ninguém mais é capaz.

No fim das contas, pode não ser de tudo ruim. E você, acredita que as mudanças efetuadas pela Microsoft foram um erro ou acredita piamente que os discos e distribuição física de jogos continuarão sendo a tônica que leva o mercado para a frente?

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.