Voxel

Para produtor de Gears of War, o estilo de muitos games deve mudar na próxima geração

Último Vídeo

Img_normal

Para Adrian Chmielarz, ex-diretor do estúdio People Can Fly – responsável pelo desenvolvimento de Gears of War: Judgment –, os jogadores questionam cada vez mais as ações e os verdadeiros objetivos de protagonistas de diferentes jogos.

Por exemplo, algumas pessoas já se perguntam por que Nathan Drake ou Lara Croft são assassinos em série. Segundo ele, essas indagações não eram feitas antigamente; as pessoas simplesmente jogavam os jogos sem se preocupar com quantos homens os personagens destruíam – por mais que fossem considerados vilões.

Img_normal

Para Chmielarz, na próxima geração de jogos os desenvolvedores poderão experimentar um novo estilo de design de games. Eles poderão criar títulos capazes de considerar esses aspectos mais realistas e os incorporar na narrativa dos jogos.

Adrian diz que provavelmente os jogos indie foram responsáveis por essa modificação de pensamento, pois eles mostraram um estilo diferente de jogabilidade. Quando as pessoas voltam para os grandes títulos da geração, costumam pensar que há algo de errado no desenvolvimento dos jogos mainstream (os grandes títulos).

Img_normal

O produtor cita a personagem Lara Croft, do novo Tomb Raider, como um exemplo de inconsistência de narrativa, já que, segundo ele, em poucos minutos ela passa de mulher chorona para assassina insensível. Ele também cita outro título recém-lançado como exemplo: BioShock Infinite.

Para Adrian, “BioShock Infinite é uma prova de que o antigo território está pegando fogo e de que nós precisamos mudar”. Ele diz que nenhum título provocou um debate tão exaltado em torno dos mecanismos de jogo como BioShock. Isso se deve ao fato de que o game possui ótimos momentos, realmente memoráveis, porém que são tirados de você rapidamente.

Img_normal

Chmielarz enfatiza que não acha BioShock Infinite um jogo bom, porém um game importante. Se um game é realista, ele deve possuir uma jogabilidade mais condizente com sua proposta.

Como exemplo, ele cita o encanador mais famoso da Nintendo: ao jogar Mario, você espera coletar centenas de moedas brilhantes – e isso é algo legal. Só que ao jogar um game sobre redenção, não é tão interessante coletar moedas cintilantes pelo cenário.

Por isso, ele diz que os títulos da próxima geração devem ser mais coerentes – fato que abre novas portas para o desenvolvimento de jogos. E você, o que acha do posicionamento polêmico de Adrian Chmielarz?

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.