Voxel

Peixeira, samba e capoeira: Trajes Fatais é um jogo de luta 100% brasileiro

Último Vídeo

Com toda sua ginga e malemolência, os personagens brasileiros costumam marcar presença esporadicamente nos games de luta, como é o caso de Eddy Gordo (Tekken 3), Sean Matsuda (Street Fighter III) e, mais recentemente, sua irmã Laura Matsuda (Street Fighter V). Porém, quando o assunto é um título desse gênero que seja completamente nacional, a lista praticamente some. Felizmente, o estúdio cearense ONANIM, sediado em Fortaleza, resolveu investir no tema com muita categoria com o seu primeiro título: Trajes Fatais.

A produção, apelidada de TRAF pelos seus criadores, está sendo desenvolvida desde 2014 e conta a história de uma festa a fantasia um pouco diferente das convencionais. Nela, os convidados recebem poderes de acordo com o que estiverem vestidos, com uma súcubo bem sexy, por exemplo, conseguindo atacar seus oponentes com um rabo comprido e pontiagudo. Para completar a trama, um chefão misterioso está fazendo essa galera lutar entre si. Enredo básico, mas feito sob medida para a pancadaria, não é?

Apresentando uma jogatina 2D baseada em franquias oldschool como Darkstalkers, The King of Fighters e – por que não? – World Heroes, o produto 100% brasileiro já começa a ganhar destaque na cena nacional. Isso porque em fase de desenvolvimento ganhou uma demo enxuta para o SBGAMES deste ano, conseguindo ser eleito o melhor jogo do evento pelo júri popular. Valorizando sua origem, o game aposta em uma boa dose de elementos 100% nacionais no visual dos personagens, na sua personalidade ou em seu estilo de luta.

Os dois heróis oferecidos na versão de testes de TRAF, por exemplo, deixam bem claras suas raízes: a diabólica Lucy Fernandez literalmente samba na cara das inimigas ao vencer seus adversários, enquanto o angelical Cristiano Martins demonstra que a combinação de capoeira e asas pode ser bem eficiente durante os combates. No entanto, a figura introduzida no dia 12 deste mês na brincadeira é ainda mais brasileira – de corpo e alma. Lourenço, o Cangaceiro, é um lutador que ataca com uma arma bem característica e ainda grita “olha a peixeira!”

Promessa brasileira

Dando uma olhada no material disponibilizado tanto no site oficial do game como em sua fanpage no Facebook, dá para ver que a equipe do ONANIM está caprichando nos detalhes do produto. Mesmo se os jogos do estilo não forem a sua praia, não deixa de ser bastante interessante a oportunidade de poder checar todo o processo de produção de Trajes Fatais, seja pelos sprites de qualidade, pela trilha sonora caprichada ou pelas artes conceituais criadas para os personagens e cenários da jogatina.

Por outro lado, se você é fã do gênero, essa é a oportunidade de presenciar o nascimento de um belo jogo de luta nacional. Apesar de o item ainda estar em desenvolvimento – com bastante espaço para crescer e pontos a melhorar –, fica difícil não aplaudir a fluidez das animações nesse estágio e até a ousadia de alterar de leve o indicador de vida, substituindo a clássica barrinha por frascos ou bolinhas coloridas que vão se esgotando e se partindo em pedaços conforme o pau quebra solto. E aí, pretende acompanhar essa aventura?

Curte a ideia de um game de luta nacional e cheio de referências ao Brasil? Comente no Fórum do TecMundo Games!

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.