Phil Spencer fala sobre inclusão e criação de ambiente online saudável
272
Compartilhamentos

Phil Spencer fala sobre inclusão e criação de ambiente online saudável

Último Vídeo

Em uma coletiva de imprensa na DICE Summit 2018, evento que promove debates sobre artes, negócios e entretenimento em Los Angeles (EUA), Phil Spencer, chefão da divisão Xbox, disse que as empresas de games devem “abraçar” a inclusão e fiscalizar comportamentos tóxicos que transformem as mulheres em minorias e que façam com que elas não se sintam bem-vindas nesse meio, especialmente nos ambientes online.

Em declaração sobre a importância da marca Xbox, o executivo disse que, “para fazermos o melhor trabalho, precisamos de um ambiente de trabalho que funcione bem”. “Não fizemos nosso melhor trabalho com o lançamento do Xbox One. (...) Precisávamos de um reboot. A moral estava baixa, pessoas faziam piadas disso. Então, buscamos mudar em tudo, adotar um pensamento compreensivo e reconstruir a nossa cultura”, relatou Spencer ao falar sobre o valor de um ambiente de trabalho e a saúde do mundo online.

A cultura de ouvir a comunidade

Uma das principais características do Xbox, graças ao programa Insider/Preview, sempre foi coletar informações de usuários e usar esse feedback para aplicar melhorias ao sistema – algo que, agora, é uma cultura imutável da empresa toda, segundo Spencer.

gh

“É sobre ter um comprometimento de continuar ouvindo e aprendendo. Devemos continuar nessa transformação porque sabemos que isso permite o nosso melhor trabalho. Isso significa ter todos os sexos, todas as habilidades e todas as etnias em todas as geografias. Essa é a nossa quest”, elucidou o chefão.

Diversidade

Na visão de Spencer, os universos criados em jogos devem ter diversidade. Aqueles que falham nessa premissa vão “sofrer” para alcançar o sucesso num mundo em que “mais e mais pessoas estão jogando video games”, de acordo com o líder.

“Devemos ser ouvintes ativos, devemos nos educar, ler, entender as visões de outras pessoas. Se estivermos informados, podemos conduzir nosso propósito. (...) O comportamento tóxico não fere apenas um indivíduo, fere toda a nossa indústria. É nossa responsabilidade fazermos jogos para todos. A representatividade não é apenas senso comum; é um bom senso de negócios”, pontuou.

E você, o que pensa sobre o assunto? Manifeste sua opinião aqui embaixo, na seção destinada aos comentários, e participe do debate.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.