Voxel

Pokémon X e Y não são um reinício da franquia, mas uma evolução

Último Vídeo

Anunciada no início desta semana, a nova geração de Pokémon surpreendeu muita gente ao abandonar os tradicionais sprites em prol de um universo totalmente tridimensional. No entanto, o que isso representa para a série?

O diretor de marketing internacional da Pokémon Company, J.C. Smith, falou ao site Polygon sobre o processo de criação de X e Y e explicou as razões que fizeram a empresa a fazer mudanças tão radicais dentro da estrutura da franquia. Segundo ele, depois de tanto tempo presa à estrutura do DS, a série precisava dar um novo passo e evoluir.

Segundo ele, a Game Freak sempre se preocupou em trazer uma riqueza gráfica em seus títulos e que, por isso, a adoção de gráficos tridimensionais nos novos títulos não deve ser vista com estranheza. Para o executivo, basta relembrar o quanto a franquia mudou desde o Game Boy para perceber que o objetivo sempre foi melhorar.

Img_normal

Com Pokémon X e Y, o estúdio se preocupou em trazer esse novo salto ao mesmo tempo em que pensava em criar algo fantástico para aproveitar tudo o que o Nintendo 3DS tem a oferecer. Para isso, a solução foi apostar nos gráficos poligonais e na existência dos efeitos tridimensionais do portátil, que devem dar nova profundidade ao game e às batalhas.

Por fim, Smith reforçou a ideia de que a Game Freak não está vendo os novos games como um reinício da série, mas um novo passo em direção a algo ainda melhor.

Lendários revelados

Img_normalE enquanto todo mundo ainda admirava o mundo tridimensional de Pokémon X e Y, a Nintendo anunciou os nomes das criaturas lendárias que aparecem no trailer de anúncio. O grande cervo azul chama-se Xerneas (embora a pronúncia seja de “Ziurniãs”) e o dragão voador em forma de Y é Yveltal (“Iviltóu”).

E aí, já escolheu seu favorito? Pois você tem até outubro para decorar seus nomes.

Fonte: Polygon, Destructoid

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.