Voxel

Político inglês quer discutir a violência nos games. De novo

Último Vídeo

Fonte da imagem: Wikipedia
E lá vamos nós de novo. Apesar de muita gente não levar video game a sério, ainda há quem goste de ver os jogos como algo perigoso. É o caso de Keith Vaz, membro do parlamento britânico, que quer ressuscitar a velha discussão de o quanto os games podem ser nocivos para as crianças.

Segundo ele, estamos no momento ideal para debater essa questão, principalmente quando muitos pais pretendem presentear seus filhos com um console. Para Vaz, não se trata de uma censura, mas de estudar formas de “proteger” os pequenos.

Famoso por ser um forte crítico ao entretenimento digital no Reino Unido, Vaz usou um estudo realizado pela Universidade de Indiana que indica as atividades cerebrais durante a jogatina para corroborar sua tese. Contudo, como apontou o site DailyTech, a pesquisa foi encomendada por um grupo de interesse, o que anula seu valor científico por conta da parcialidade.

Opinião BJ

Sinceramente, não entendo o porquê de tanta preocupação em torno de “jogos violentos” para crianças. Como já foi abordado aqui no site, a classificação etária serve exatamente para mostrar aos pais que tipo de conteúdo é indicado para seus filhos e quais são aqueles que ele não pode jogar. Se o pai ou a mãe não respeitam isso e permitem que a criança tenha acesso a Call of Duty ou outro título voltado para o público adulto, a culpa não é da indústria de games, mas da falta de um acompanhamento familiar daquilo que o pequeno vê.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.