Presidente da SCEA explica porque não podemos trocar de apelidos na PSN

Presidente da SCEA explica porque não podemos trocar de apelidos na PSN

Último Vídeo

Você já parou para pensar no porquê de a Sony não permitir que uma pessoa troque seu apelido da PSN? É provável que muitos pensem se tratar de alguma limitação técnica, mas, de fato, isso está longe de ser verdade.

Em uma entrevista ao site IGN, o presidente da Sony Computer Entertainment America Shawn Layden explicou o verdadeiro motivo para uma das funções mais pedidas da PSN não estar disponível para o público. De início, ele comentou que boa parte dessas funções existe dentro do serviço; além disso, Layden também afirmou que “nós queremos dar a vocês mais controle da sua experiência e seu perfil e sua presença na rede”.

Pagando pelos trolls

Mas então, por que não liberar a mudança de nomes? Simples: “Ao mesmo tempo, como você deve entender, nós não queremos fazer isso de maneira que você possa entrar, ofender um monte de pessoas no Far Cry, mudar seu avatar, mudar seu nome de usuário, ir no CoD e ofender todos lá. Nós queremos parar isso.”, explicou Layden.

“[Nós queremos fazer a troca de nome] de uma maneira que seja transparente, mas que também não deixe as pessoas mudarem a si mesmas, também. E sim, é terrível que você tenha que tomar decisões em um serviço às vezes otimizando em torno do fator ruim. Eu odeio que nós tenhamos que fazer isso. Então nós estamos tentando balancear isso entre... Os 99% de usuários que vão ter uma boa experiência, como nós podemos ajudar a fazer isso acontecer sem dar mais uma ferramenta para o mal agente ir e arruinar a experiência para os outros?”

Felizmente, a declaração ao menos indica que a Sony está pensando em uma maneira de nos permitir fazer isso de maneira eficiente. Quem sabe, por exemplo, a empresa pudesse passar a deixar que você troque os apelidos por uma taxa ou uma vez a cada seis meses? Resta esperar e torcer que algo seja feito quanto ao assunto.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.