Voxel

Prévia – Conheça a bizarrice contagiante de Octodad: Dadliest Catch

Último Vídeo

Certo, agora imagine que seu pai seja um polvo. Não, sério. Você conseguiria perceber que ele é um pouquinho diferente das outras pessoas ao seu redor? E, caso percebesse, o que pensaria em fazer? Continuaria amando-o como pai ou iria preferir dar um jeito de mandá-lo de volta para a água, largando-o no aquário mais próximo da sua casa?

Dadliest Catch é a continuação direta do primeiro capítulo da franquia Octodad, lançado inicialmente em 1º de novembro para PC e Mac. Rodando em um PS4 durante a Brasil Game Show 2013, o novo título (que deverá chegar às lojas em 2014) chamou a atenção dos visitantes da feira por conta de sua proposta bizarra e jogabilidade intencionalmente desengonçada.

Assim como no jogo anterior da série, Dadliest Catch te coloca na pele de um simpático polvo que vive em nosso mundo disfarçado como um homem comum. Possui esposa, filho, trabalho e uma divertida rotina familiar que todos nós conhecemos por experiência própria. Sua vida parece perfeita, se não fosse por um único probleminha: é particularmente difícil se locomover em terra usando seus maleáveis tentáculos.

Img_normal

Não é nada fácil ser um polvo...

Toda a mecânica de Octodad: Dadliest Catch gira em torno da dificuldade do protagonista em controlar seus membros molengas com eficiência. Seus desafios se resumem a pegar chaves, abrir armários, vestir roupas e tentar não trombar em tudo o que vier pela frente: afinal, sua esposa e seus filhos já estão bastante desconfiados de seu “comportamento anormal”.

A jogabilidade do título se baseia na transição periódica entre dois modos diferentes. No “modo braços”, seu personagem fica imóvel enquanto você deve usar os dois analógicos para controlar um de seus tentáculos e concluir algum objetivo (agarrar um item, empurrar um objeto etc.). Já no “modo pernas”, você deve usar o direcional em conjunto com os gatilhos L1 (levantar perna esquerda) e R1 (levantar perna direita) para mover o ser aquático até o seu destino.

É imprescindível observar que ambos os modos são bastante difíceis, já que os movimentos do polvo-homem (ou seria homem-polvo?) são muito estabanados e pouco precisos. A simples tarefa de agarrar uma chave pode demandar vários minutos de sua jogatina.

Img_normal

Muito mais do que uma história inocente

Apesar de toda a bizarrice que envolve a trama do título, Dadliest Catch também traz uma mensagem social bastante interessante e profunda. Se observarmos o roteiro de um ponto de vista mais analítico, não fica difícil descobrir que Octodad representa nosso medo de ser diferente e nossas tentativas inconscientes de tentar esconder quem realmente somos por puro receio dos julgamentos da sociedade. Apesar dos gráficos simples e da monotonia causada pela falta de objetivos concretos em alguns momentos do jogo, Dadliest Catch é um game excelente e vale a pena ser conferido por qualquer pessoa que procure fugir do convencional.

Além do PS4, o título também será lançado para Windows, Mac e até mesmo Linux (sendo distribuído através do Steam). Ainda não há previsão para uma data de lançamento exata.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.