Voxel

Prévia: EA Sports UFC será apenas o game de luta mais incrivel já feito

Último Vídeo

Finalmente o esporte que mais cresce no mundo está prestes a receber um título digno do peso da marca que é exibida em eventos espalhados por todo o mundo. O EA Sports UFC promete entregar aos gamers uma experiência de jogabilidade jamais vista em nenhuma outra produção do universo dos games, principalmente devido à utilização do motor gráfico da Electronic Arts, desenvolvido para as plataformas da oitava geração.

E está na hora de unir os lutadores mais famosos de todos os tempos, desde que Royce Gracie inaugurou a lista de vitórias em uma época em que um mesmo competidor lutava até três vezes em uma única noite. É verdade que a EA Sports vem divulgando vários vídeos para mostrar um pouco mais das novidades que estão sendo preparadas para o lançamento da obra, mas o anúncio mais incrível de todos é a presença do monstro sagrado inventor do “Jeet kune do" como DLC para quem fizer a compra antecipada do título.

Isso mesmo: o lendário Bruce Lee vai compor o elenco de gladiadores de EA Sports UFC. “Sempre foi parte da nossa visão ter Bruce Lee, o mais icônico artista marcial de todos os tempos, no primeiro EA Sports UFC de todos”, disse o diretor criativo Brian Hayes (diretor técnico da produção).

Como se isso não fosse o bastante, também já pudemos conferir várias imagens de jogabilidade que a produtora jura que foram retiradas de momentos de gameplay real, ou seja, que serão similares ao que os jogadores terão em suas casas.

Uma pintura em movimento

Em entrevista ao site Total Xbox, o diretor técnico do título, Brian Hayes, afirmou que mesmo que Jon Jones, Alex Gustafsson e Anthony Pettis pareçam incríveis nas screenshots, “vê-los dentro do octógono são outros quinhentos”. O diretor afirma que os lutadores se movem absolutamente como os gladiadores reais, incluindo os fenômenos físicos que ocorrem com o sistema vascular, a contorção sofrida pela pele e outros machucados faciais.

Hayes afirma que, ainda que fosse possível reproduzir fielmente os movimentos das precisas investidas do fantástico lutador canadense George Saint-Pierre, elas seriam inúteis se a ferocidade com a qual ele as executa não pudesse acompanhar a ação. E é justamente essa maestria técnica e o atletismo intrínseco a cada lutador e sua especialidade marcial que faz desse esporte um sucesso tão grande

Outra característica interessante da nova produção é a possibilidade de cada jogador criar seu próprio lutador (como acontece em outras obras de luta). No entanto, vale salientar que não será possível compartilhar essas criações com outros colegas por meio da rede online de seu console.

Segundo Hayes, criar e compartilhar lutadores em si não é realmente o problema. A questão que impede o compartilhamento das personalizações é o fato de que muitas pessoas criariam personagens famosos, como artistas de renome, protagonistas de filmes (Harry Potter?) e mesmo outras figuras conhecidas justamente pela sua relação com a luta — pense em Rocky Balboa.

Assim, como muitas dessas pessoas (reais ou não) pertencem a outras empresas e contam com imagens protegidas e tudo mais, a disponibilização dessas figuras no game (mesmo que por obra dos jogadores e não da própria EA) poderia ocasionar uma tonelada de questões de cunho jurídico (sobre ilegalidade e direitos de imagem) para a EA. Portanto, é melhor prevenir do que remediar, não é mesmo?

Os pilares de cada luta

Os títulos mais antigos da marca de Dana White já contavam com uma jogabilidade interessante, principalmente por incluírem sistemas de lutas abrangendo três diferentes dimensões. Primeiramente há as modalidades que focam combates em pé. Depois há os momentos de grappling, que incluem clinche e agarrões, que fatalmente visam quedas. Finalmente, há as lutas de solo — que ultimamente são dominadas pelo BJJ (Brazilian Jiu-Jitsu, iniciado pela família Gracie).

No entanto, o novo desafio do pessoal técnico da EA é focar seus esforços nas transições entre uma posição e outra. Como será o movimento da mudança de estilo de um lutador de Muay-thai, por exemplo, quando ele sofre (ou inflige) uma queda e precisa alternar rapidamente para uma modalidade focada no chão? Ou como os especialistas em Wrestling devem executar os combates à meia altura, oscilando entre quedas constantes e “raspagens” (que são aqueles momentos em que um lutador está controlando o combate por cima seu adversário, aproveitando para desferir muitos golpes enquanto a ação segue no chão).

Além disso, vale dizer que a mecânica de combate em pé caminha para ser a mais sensacional já vista até então, entregando praticamente um espelho que cada lutador apresenta durante seus combates dentro do UFC. Com isso, espere encontrar uma variedade especial e única de golpes, levando em conta a especialidade de cada combatente.

Mais do que isso, o game pretende abusar das diferentes passagens de guarda, o que faz efeito direto na continuidade da luta, nos diferentes posicionamentos para reagir a chaves e estrangulamentos e até na pontuação obtida em cada round. Portanto, espere poder utilizar adequadamente golpes, icônicos como chaves de braço, perna e o famoso mata-leão.

É claro que tudo isso deve respeitar (e muito) as leis da física, o que termina de conferir o realismo esperado em um título com a marca Ultimate Fighting Championship.

Quando?

Uma boa notícia que recebemos da EA nas últimas semanas foi a garantia de que EA Sports UFC receberá uma versão demonstrativa dentro de pouco tempo. Mas, como nem tudo é do jeito que nós queríamos, os donos do PS4 e Xbox One ainda terão que esperar um tempo indeterminado para colocar suas mãos na demo, pois a companhia não sabe quando ela será lançada.

Enfim, EA Sports UFC tem lançamento previsto para PlayStation 4 e Xbox One no próximo dia 17 de junho na América do Norte, em 19 de junho na Europa em geral e no dia seguinte especificamente no Reino Unido.

Infelizmente ainda não há informações a respeito da chegada oficial do título no Brasil — um dos celeiros dos lutadores mais cascas-grossas do esporte!

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.