Prévia: Heroes of the Storm mergulha fundo em novos universos e mecânicas
23
Compartilhamentos

Prévia: Heroes of the Storm mergulha fundo em novos universos e mecânicas

Último Vídeo

Heroes of the Storm prolonga há muito tempo a sua fase Alfa, mas toda esta dedicação aos testes está fazendo muito bem para o tão esperado MOBA da Blizzard. O jogo evoluiu sutilmente desde a última vez que entramos nas arenas, e a BlizzCon 2014 fez questão de expandir o multiverso e atingir diferentes níveis de jogabilidades — abraçando dessa forma novidades que prometem ser muito interessantes para todos os perfis de jogadores.

Mesmo com a intensa correria do evento, conseguimos um tempo para sentar e experimentar um pouco de todas as mudanças que estão chegando para o jogo — inclusive com uma jogatina ao lado dos desenvolvedores. São novos heróis e universos entrando na jogada, além de novos mapas e modos... Tudo isso ainda na fase Alfa.

Os vikings se perderam mais uma vez

Nessa viagem épica entre as franquias, o que mais me surpreendeu foi a chegada dos três guerreiros nórdicos de The Lost Vikings. Confesso que minhas esperanças eram mínimas para que o jogo atingisse universos mais antigos, mas a Blizzard mostrou interesse em incluir todas as possibilidades e dar uma colher de nostalgia aos jogadores. O que impede que alguns carros muito loucos entrem mais tarde nas arenas ao som do bom e velho rock’n roll?

Bom, vamos manter os pés na Terra — se conseguirmos nos concentrar no meio de toda essa fusão de dimensões, é claro. Os três vikings entram com uma jogabilidade única e convidativa para os fãs da estratégia: assim como no clássico jogo do SNES, o trio não se dispersa, mas une suas forças para passar pelos problemas.

No multiverso de Heroes of the Storm isso não seria diferente, afinal você poderá controlar todos os guerreiros ao mesmo tempo ou ainda optar por fazer as ações de cada um separadamente. Isso mesmo, senhoras e senhores: o bom e velho “microgerenciamento” está de volta, podem preparar seus dedos.

Para compensar essa vantagem numérica, o trio conta com apenas o poder mais forte no nível 10, invocando uma enorme embarcação nórdica para causar o caos nas proximidades. Cada um dos personagens tem atributos diferenciados: enquanto Olaf carrega seu pesado escudo para fazer a frente para seus companheiros, Erik e Baleog podem causar uma grande quantidade de dano em ataques físicos ou a distância.

Os talentos, por sua vez, dão a oportunidade de aumentar os atributos ou dar características específicas a um dos nórdicos. Seja aumentar a vida de Olaf ou dar o roubo de vida à Erik, eles servem para customizar ainda mais o trio, adaptando a composição para o desenvolvimento da partida.

A morte de cada um não influenciará no grupo: eles continuam funcionando como três heróis separados, unidos apenas pelo jogador que o controla. Não é preciso dizer que esta é uma escolha de risco, pois dependerá do controle excepcional e do posicionamento correto de cada guerreiro durante as brigas... E talvez aconteçam alguns deboches ao melhor estilo “micro skills” aos que ainda não estão acostumados com esse complexo controle de unidades.

Warcraft em peso

Jaina Proudmore e Thrall também caíram na nuvem cósmica de Heroes of the Storm. Cada um continua com suas características mais marcantes: enquanto a maga explora as magias de gelo e invoca elementais de água, o ex-chefe guerreiro conta com magias elementais e invoca aliados para a batalha.

Tive pouco tempo para experimentar os dois novos personagens, e naturalmente acabei focando por mais tempo na Jaina — bom, apesar de ser um membro da Horda eu sou fã dela desde o Warcraft III, me desculpem. Ela explora magias em área para deixar os inimigos lentos, criando espaço para as brigas e mantendo o outro time pressionado em espaços pequenos.

Todo esse potencial mágico é compensado pela sua falta de movimentação. Não há habilidades para fugir, o que torna a “tia Jaina” um alvo frágil se for pega fora de posição.

Do outro lado, Thrall explora as batalhas dinâmicas, invocando aliados e criando magias com a terra e o ar. Seu foco está na batalha em vários objetivos, espalhando magias situacionais para trabalhar o dano e a posição da sua equipe.

A nova dupla, ao lado da fortíssima combinação de Uther e Arthas que marcou presença constante no campeonato oficial, aumentam a presença do universo de Warcraft em Heroes of the Storm... Embora eu ainda acredite que é estranho ver cada um deles lutando ao lado do outro. Sem ressentimentos, Lich King?

Arenas arenosas

Se me perdoaram o trocadilho, um novo mapa está pronto para trazer uma dinâmica mais constante no controle de objetivos. Sky Temple é uma arena de três rotas com três altares, cada um protegido por fortes monstros. Controlar um destes pontos fará com que o ponto dominado dispare mísseis de energia nas construções inimigas. Mas espere, há um sistema para deixar as coisas mais interessantes...

Cada altar conta com um número de tiros que são recarregados com o tempo, mas basta que você chegue no portal para dominá-lo. No entanto, os monstros são agressivos e te atacarão só de passar por perto. Acha que é só isso? Essas criaturas também são insistentes e reaparecem a todo instante.

Toda essa nova dinâmica de jogo mergulha em brigas muito mais constantes. O time inimigo saiu de cena? Siga-os para não deixar que controlem o altar.

Ao contrário dos demais mapas, que apresentam objetivos temporários e com tempos fixos, a linha aqui é muito mais tênue, explorando o controle de espaço e o trabalho em equipe de um jeito inovador. Coordenação e ação acima de tudo, mantendo a agilidade e as partidas rápidas que já conhecemos de Heroes of the Storm.

Um universo que se expande

Para reafirmar o constante desenvolvimento, a Blizzard ainda anunciou que em breve um novo mapa temático de Diablo estará chegando, ao lado de modos ranqueados para incentivar o cenário competitivo deste MOBA.

É como na Física: estamos falando de um universo em constante expansão, embora Heroes of the Storm cresça emprestando o melhor das franquias da Blizzard. E pode ter certeza que este é um dos maiores charmes do jogo.

O BJ viajou para a BlizzCon 2014 a convite da Blizzard.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.