Voxel

Prévia - Knack é colorido, simpático e muito viciante [vídeo]

Último Vídeo

Os jogos simples de plataforma ainda não morreram. Ao lado de Killzone: Shadow Fall e outros títulos cinematográficos que irão acompanhar o lançamento do PlayStation 4, Knack chama a atenção por conta de sua mecânica ridiculamente simples e enredo que lembra contos de fantasia infantil.

Em um mundo povoado por humanos e globins, um cientista maluco consegue usar o poder de pedras mágicas para criar uma espécie de golem capaz de absorver qualquer material que encontrar pela frente – e isso inclui pedras, gelo, metal e outros cristais preciosos.

Img_normal

Conforme vai assimilando os itens ao seu redor, Knack – o nosso querido golem – também vai aumentando de tamanho até virar um ser colossal. Ao ser atingido por golpes inimigos, contudo, o personagem perde um pouco de seus minerais até acabar voltando ao seu insignificante tamanho original.

A sua missão é simples: lutar contra os globins que se rebelaram e roubaram diversos tesouros da raça humana. Conforme a história progride, o clima de guerra entre as duas espécies cresce ainda mais, até o ponto em que o protagonista já não tem certeza sobre quem está certo e quem está errado.

Simplicidade que vicia e empolga

Não se engane com o visual “bonitinho” de Knack: o título apresenta algumas batalhas realmente acirradas e uma boa dose de ação. Os comandos não poderiam ser mais simples: há apenas um botão para atacar e outro para pular. Com o analógico esquerdo você movimenta o personagem e, com o direito, se esquiva das investidas inimigas. Basta quebrar tudo o que você encontrar pela frente para recolher qualquer entulho que possa ser útil e aumente a força do lutador.

Quem jogou algum episódio da franquia Katamari Damacy deve saber o quão viciante é essa mecânica de “bola de neve”: é particularmente prazeroso observar Knack ganhando o dobro da altura de seus oponentes e esmagando-os como se fossem pequenas baratas. A demonstração disponível na Brasil Game Show 2013 apresenta um trecho no qual o golem já está tão grande que pode arremessar carros e tanques com extrema facilidade.

Mas nem tudo se resume a gigantismo: em certos momentos, também é necessário retirar todos os minerais “grudados” em Knack para que o próprio possa entrar em locais diminutos (pequenas brechas e janelas). Além disso, é bom ter bastante cuidado com o tipo de material que você resolve absorver: afinal, não vale a pena criar uma armadura de gelo para o protagonista se o cenário seguinte apresentará um sol escaldante. Exato: seu personagem irá derreter em poucos minutos.

Junto ou separado: você escolhe

Mesmo que Knack não apresente um multiplayer online, dois jogadores podem se divertir localmente em um modo co-op. O segundo participante assume o papel de um golem auxiliar que não possui muita força física, mas pode coletar os minerais para seu amigo enquanto este assume o combate.

Já no que diz respeito ao singleplayer, o título apresentará uma história bastante extensa e baseada em capítulos, que, por sua vez, são divididos em pequenos trechos. Vale lembrar que Knack será lançado localizado para português do Brasil (com legendas/menus traduzidos), e podemos dizer que a dublagem está com uma qualidade satisfatória. As vozes caíram muito bem nos personagens carismáticos e completam com louvor o clima “fofinho” do game.

Img_normal

Knack está programado para ser lançado junto ao PS4; há inclusive a possibilidade da Sony lançar um bundle contendo o console, uma câmera e uma cópia do título. Mas não se engane: o game não é voltado unicamente para crianças. Qualquer adulto conseguirá encontrar muita diversão no jogo e certamente irá se viciar no ciclo de coletar materiais para se tornar ainda maior.

Sobretudo, Knack é perfeito para saudosistas e amantes das velhas franquias simples de plataforma que fizeram sucesso na época do PS1. É uma alternativa interessante para quem quer algo mais do que tiros, guerras e zumbis sanguinolentos.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.