Voxel

Prévia: SOMA vai perturbar seu sono e também seus nervos

Último Vídeo

SOMA é a nova produção dos mesmos criadores de Amnesia: A Machine for Pigs e de Amnesia: The Dark Descent. Isso mesmo, eles estão de volta, só que de dessa vez com mais recursos e experiência para construir uma aventura capaz de tirar o seu, o meu e o nosso sono por várias noites consecutivas. Quem está achando que esses comentários são fruto de pouca coragem e de muito exagero certamente não está familiarizado com a produção anterior da desenvolvedora...

Antes de qualquer coisa, a Frictional Games recentemente publicou um pequeno trailer contendo um pedacinho da jogabilidade de SOMA. Então, antes de continuar lendo, faça o favor de colocar fones de ouvido, apagar a luz do ambiente em que você está, grudar o seu rosto no monitor e dar o play nesses quatro minutos e meio (que parecem seis incessantes horas) de terror.

Pronto, agora você está pronto para continuar a descobrir o que mais já sabemos sobre essa perturbadora experiência que deve chegar apenas ao novo console da Sony e aos computadores.

Pedaço de mau caminho ou pedaço do caminho do mal?

Seguindo a prerrogativa dos trabalhos anteriores da franquia Amnesia, SOMA também conta com uma atmosfera tão densa que parece ser possível pegar nela. Com isso, como aponta Mikael Hedberg, o escritor (roteirista perturbado) da aventura, a melhor maneira de entender o título é sentando em frente ao video game, apagando as luzes e começando a jogar.

Durante um bom tempo, você deve ficar um pouco perdido na história por trás dos acontecimentos que norteiam a jogatina, mas logo as coisas vão se esclarecendo sozinhas. Thomas Grip, diretor de criação da produção, revelou ao site Game Informer (durante uma sessão demonstrativa feita após a GDC deste ano) que, diferentemente do caráter adotado nos títulos anteriores da companhia (que eram baseados em obras de Edgar Allan Poe), desta vez a empresa resolveu dar um tom de ficção científica à nova produção.

Essa alteração foi feita no sentido de situar SOMA em um mundo muito mais crível, no qual os jogadores consigam sentir algum tipo de identificação. Em outras palavras, a intenção foi a de criar uma situação na qual você pudesse se imaginar como sendo um personagem, ou seja, criar uma história que se passa em um universo não tão distante assim.

E o território escolhido para as aventuras foi o assoalho oceânico, no qual os gamers encontrarão várias ruínas submersas, bem como navios naufragados e uma atmosfera muito sufocante (já que o ar sob a água é realmente um atributo importante para a sobrevivência humana).

Indo fundo no terror

O ambiente de fundo de mar auxilia muito a construção do clima de terror, pois essa região conta com um isolamento acústico quase tão impressionante quanto o vácuo espacial. Com isso, o trabalho sonoro de SOMA deve funcionar como um poderoso condutor de sustos, o que deve ser fortemente auxiliado pelos efeitos de iluminação das ruínas.

No game, os jogadores assumirão o papel de Simon, de quem nós ainda não conhecemos praticamente nada. “Ele não sofre de amnésia”, diz o diretor Grip, que continua: “Ele sabe muito bem quem ele é, mas ele acaba em uma situação realmente muito estranha. Mas as razões que o levaram a tal situação é que são os grandes mistérios da aventura”.

O pessoal que testou a Demo do jogo afirma que as perguntas mais cabíveis para tentar descobrir mais detalhes giram em torno de “por que eu”, no que diz respeito à situação de Simon. Portanto, os fatos de “como” e “por que” ele deve ter ido parar nesse misterioso ambiente não devem ser tão misteriosos assim — o que foi prontamente confirmado pelo roteirista Mikael Hedberg.

Conforme a exploração dos cenários avança, você vai encontrando dispositivos de áudio com gravações dos momentos finais de algumas pessoas. Todas elas foram vítimas de uma espécie de sistema de computador chamado WUA. Infelizmente, os produtores do game se recusam a falar mais sobre ele, para não correr o risco de liberar nenhum spoiler desnecessário antes do tempo certo.

Forças do além

Então, apesar de não sabermos mais sobre a possível origem do mal que estamos enfrentando, podemos afirmar que o personagem central de SOMA conta com algumas habilidades extrassensoriais. Isso significa que Simon deve contar com a capacidade de captar algumas vibrações de seres mortos e interagir com elas para descobrir o que aconteceu anteriormente.

E essa característica permite que cada cenário dentro do jogo conte com diferentes puzzles que precisam ser resolvidos e com fatos que vão ser investigados. E esses desafios podem ser bastante simples, como reiniciar o sistema de alguma sala para abrir uma porta ou recolocar um plug no lugar certo para ativar alguma funcionalidade que só é ativada mediante energia elétrica.

Não espere encontrar mapas ou muitas informações na interface do game com o jogador, pois a desenvolvedora resolveu remover todos os excessos possíveis para elevar tanto quanto for possível a tensão do ambiente. Além disso, vale afirmar que Simon não é o único ser humando vivo em SOMA.

Os gamers serão apresentados a uma moça chamada Catherine, que deve interagir com ele por meio de um rádio, fazendo perguntas no mínimo estranhas para as situações em questão. A companheira (será mesmo?) pode requisitar que o rapaz cumpra algumas pequenas tarefas para ela, em troca de orientações geográficas (ela indica onde você deve ir para conseguir algum benefício), o que facilita sua saída de determinadas situações periclitantes.

E para deixar tudo ainda mais dramático, Simon não deve carregar armas, mas os inimigos não se importarão nem um pouco com isso. Portanto, prepare-se para usar muita discrição e movimentos sorrateiros, para poder passar direto pelas mais diversas criaturas. De acordo com a Frictional, a jogatina completa de SOMA deve durar pouco mais de oito horas, o que já é mais do que suficiente para tirar o sono de muitos gamers por algumas semanas inteiras...

Quando?

SOMA tem previsão de lançamento para algum momento de 2015, o que indica que veremos mais novidades do título durante a Electronic Entertainment Expo deste ano, que acontecerá no mês de junho. A jogatina de terror deve ter versões para PC e para PlayStation 4.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.