Produtora comenta a criação dos cenários de Dragon Ball FighterZ

Produtora comenta a criação dos cenários de Dragon Ball FighterZ

Último Vídeo

Embora possam parecer “mero detalhe”, os cenários de Dragon Ball FighterZ são uma parte muito importante do game. Não somente eles trazem as lutas para os locais vistos na série, como o fato de eles serem destruídos aos poucos ajuda a passar o clima de que as batalhas que rolam na tela realmente são perigosas e envolvem níveis de poder acima de 8 mil.

Em uma entrevista concedida ao Kotaku, a produtora Tomoko Hiroki falou um pouco sobre o processo de criação das fases que dão fundo ao game. Segundo ela, o planeta Namek foi o mais difícil de criar: “isso foi quando tivemos que decidir como e onde queríamos ir com o estilo de arte ao desenvolver o cenário”, explicou.

Dragon Ball FighterZ

“Se simplesmente recriássemos o cenário baseado na série, não há muito acontecendo por lá”, continuou a produtora. “E isso não iria representar muito bem o sentimento que um jogo de luta de Dragon Ball precisa ter”. Assim, a equipe da Arc System Works decidiu cobrir o terreno com árvores e plantas e alguns indícios de que há vida por lá, o que inclui a presença da nave usada pelo vilão Freeza.

Cenários tiveram que passar por mudanças

Hiroki explica que a equipe também trouxe nuvens animadas para dar “mais vida” ao céu constantemente iluminado de Namek, ao mesmo tempo em que “matinha os elementos que representam o local”. Segundo a produtora, a cena mais divertida de fazer em Dragon Ball FighterZ foi o torneio de artes marciais, que possui diversos personagens variados em segundo plano.

Dragon Ball FighterZ

“Fazê-los é provavelmente um dos momentos mais divertidos que tive ao criar os cenários para esse jogo”, explicou ela. Já disponível para PC, PlayStation 4 e Xbox One, Dragon Ball FighterZ ganhou recentemente um patch que corrige alguns de seus bugs, e a Bandai Namco prometeu correções futuras para lidar com seus problemas de conectividade online.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.