Voxel

Protagonista de Assassin’s Creed IV: Black Flag serve como contraponto para heróis dos jogos anteriores

Último Vídeo


Ao contrário de Ezio e Connor, o protagonista de Assassin’s Creed IV: Black Flag não estava destinado a virar um assassino — ele simplesmente escolheu ser um. Em uma atualização publicada na última segunda-feira (8) no Ubiblog, a produtora do game esclareceu detalhes sobre as motivações que levam Edward Kenway a entrar para a irmandade.

“O jeito que Edward é introduzido ao conflito Assassinos/Templários é surpreendente e fornece um ponto de vista fresco para a história”, afirma o escritos Darby McDevitt. “Altair nasceu dentro disso. Ezio e Connor, através de tragédias pessoais, conheceram os assassinos e viram que não só eles possuíam uma boa filosofia, como os ajudariam a alcançar seus objetivos”.

Segundo McDevitt, Edward se envolve com o conflito após descobrir a existência de um objeto que tem o poder de lhe tornar extremamente rico e poderoso. Naturalmente, ambos os lados dessa guerra também estão interessados nisso, o que acaba servindo como ponto de início para a jornada do protagonista.

Um homem em conflito

Devido à sua identidade como pirata, o herói de Assassin’s Creed IV: Black Flag vai ter dificuldades em lidar com sua transformação em um novo homem, mais honrado e corajoso. Além disso, o personagem terá que redefinir qual o real objetivo de sua vida, ficando indeciso entre o simples acúmulo de riquezas e a busca por uma verdade maior.


“Edward é quase um contraponto a Connor de algumas maneiras”, explica McDevitt. “Connor começa muito idealista e as experiências de Assassin’s Creed 3 o tornam muito cínico. Ele está fazendo tudo isso que acredita ser certo, o que nem sempre resulta naquilo que ele esperava”.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.