Voxel

Próximos Assassin’s Creed poderiam se passar em tempos modernos

Último Vídeo

Fonte: Reprodução/GamingBolt

Um Assassin’s Creed com uma história focada no presente não está fora de cogitação, segundo afirmações do principal escritor da série, Darby McDevitt, durante um painel no Comic-Con de San Diego. “Sempre há uma chance, mas um dos maiores atrativos da franquia é o ‘turismo’ histórico”, afirmou.

Ainda durante a apresentação, o escritor soltou informações um pouco mais concretas sobre o futuro de Assassin’s Creed, expondo sua atração pelo período do Japão feudal. “Eu acho que o Shogunato é uma era legal, mas não depende apenas de uma pessoa e seja lá o que fizermos, faremos que seja maneiro”, disse.

 

 

Os episódios anteriores da série se passaram em vários momentos históricos e locais, como a América colonial, a terceira Cruzada e a Renascença. Além disso, o curta animado Assassin’s Creed: Embers, que trata dos dias finais de Ezio Auditore da Firenze, tem como um de seus personagens principais a chinesa Shao Jun, que ganhou uma grande quantidade de fãs com seu estilo de luta oriental.

Sangue na terra de Gandhi

Ainda durante o evento, a Ubisoft revelou sua nova HQ, Assassin’s Creed: Brahman, que se passa na Índia sob domínio britânico, no século XIX, e tem como protagonista um novo herói, Arbaaz Mir. Segundo o autor da revista em quadrinhos, Brenden Fletcher, a intenção era tocar aspectos da marca que ainda não foram explorados pelos jogos.

Fonte: Reprodução/Eurogamer

“Brahman responde muitas perguntas e abre um monte de novas portas. Fãs que querem saber o que o futuro guarda para Assassin’s Creed após Black Flag são recomendados a dar uma lida! Dica! Dica!”, acrescentou o escritor.

Fontes: Gamespot, Eurogamer.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.