Voxel

PSN: a novela continua

Último Vídeo

O blog oficial do PlayStation trouxe novidades sobre o retorno da PSN. De acordo com o site, a Sony está realizando os últimos testes antes de restabelecer as atividades da PlayStation Network e Qriocity. A mesma postagem, também explica que somente alguns séricos serão disponibilizados nesse primeiro momento (nomeadamente o multiplayer online), enquanto que a PlayStation Store só deve voltar ao ar em junho.

Aproveitando o ensejo, Sir Howard Stringer — chefe da junta administrativa, presidente e diretor executivo da Sony Corporation — escreveu uma carta pedindo desculpas a todos os membros da PSN e Qriocity. O texto, postado no blog oficial do PlayStation, reintera os esforços da empresa para restabelecer os serviços e explica que as informações de cartões de crédito dos NÃO foram roubadas.

Howard Stringer aproveitou seu pedido desculpas para oferecer um serviço de proteção de identidade a todos os usuários da rede que foram afetados pelo ataque ao sistema da Sony. O sistema em questão é o AllClear ID Plus, disponibilizado pela empresa de segurança Debix.

Esse sistema monitora a internet em busca de informações relacionadas aos seus dados. Assim, qualquer atividade, incluindo em domínios de agências de segurança do governo será registrada e reportada as autoridades como roubo de identidade. A Sony oferecerá pacotes com 12 meses de acesso gratuito, no entanto, os jogadores deverão resgatar a oferta até o dia 18 de junho.

Síndrome de avestruz

Experts de segurança eletrônica afirmam que a Sony simplesmente ignorou os relatórios que apontavam as vulnerabilidades dos servidores. Dr. Gene Spafford, professor de Ciência da Computação e consultor de cyber-segurança, declarou perante o Subcomitê de Comércio, Manufatura e Negócios da Câmara dos Representantes dos Estados Unidos da América que a Sony fora avisada sobre as brechas de segurança, mas preferiu ignorar o problema.

De acordo com o depoimento de Gene Spafford, colegas de profissão que haviam trabalhado na Sony alertavam sobre os problemas da rede e a total falta de preocupação da empresa em resolver essas questões. O testemunho escrito de Gene Spafford também explica que não saia exatamente quais proteções foram utilizadas pela Sony, mas segundo relatórios confiáveis os amparos eletrônicos utilizados não eram apropriados.

Mesmo que a PSN retorno a novela está longe de acabar. Aparentemente a Sony ainda terá que prestar muitas explicações, inclusive ao governo estadunidense. Eric Schneiderman, o procurador geral de Nova Iorque, emitiu uma intimação a Sony para responder sobre a queda da PSN.

O representante do “ministério público” nova-iorquino está interessado na forma como a Sony lidou com a segurança dos dados pessoais dos usuários em sua rede, algo que se insere dentro das fiscalizações de proteção ao consumidor.

Enquanto isso, o grupo de hackers Anonymous, emitiu uma nota oficial na qual afirma categoricamente que não está envolvido no ataque a PSN. A Sony revelou em seu depoimento ao Congresso dos Estados Unidos que, antes de desligar a rede, a empresa encontrou um arquivo com o slogan do grupo: “We Are Legion” (“Nós Somos Legião”).

Mas as coisas ainda podem piorar. O site CNET reportou que fontes seguras encontraram indícios de que o mesmo grupo de hackers que derrubou a PSN planeja um novo ataque a Sony. Supostamente, a tal fonte encontrou conversas em um canal do IRC no qual os membros do grupo discutiam a ação — porém, nada foi comprovado até o momento.

Se você já está cansado dessa história, um usuário do YouTube tem uma solução bem apropriada para toda a confusão...

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.