PUBG chega ao Xbox One com problemas, mas mantém a diversão
581
Compartilhamentos

PUBG chega ao Xbox One com problemas, mas mantém a diversão

Último Vídeo

Liberado na última terça-feira (12) no Game Preview do Xbox One, PLAYERUNKNOWN’s Battlegrounds chegou à plataforma com uma série de problemas gráficos e de desempenho. Embora isso seja esperado de qualquer game ainda em desenvolvimento, o fato de PUBG ser um dos games mais aclamados do ano fez com que seu caso fosse tratado de maneira um tanto diferente.

Uma análise conduzida pelo site Digital Foundry mostra que até mesmo rodando no hardware do Xbox One X o jogo tem dificuldades em atingir a marca dos 30 FPS. Além disso, a versão do game para consoles está usando texturas em baixa resolução e traz uma experiência inconstante de gameplay.

“Em termos de primeira impressão, PUBG é simplesmente horrendo — um ataque de artes de baixa qualidade, pop-ins chocantes e performance desapontadora. O lag de input também parece estranho — se isso é por questões de deadzone ou dos sticks analógicos ou o frame rate variável ainda precisa ser descoberto”, afirmou o site.

A Digital Foundry reconhece que PUBG é um jogo que varia muito a carga que impõe na CPU e na GPU devido ao grande número de jogadores presentes em cada partida, e estabeleceu um servidores de testes para tentar medir o desempenho no console. “Em um jogo de 22 minutos, notamos um framerate médio de 25,6 FPS no console base, que aumentou para 27,6 FPS em sua contraparte mais poderosa voltada ao 4K”.

A experiência do Voxel

Na noite da última terça-feira (12) tive a oportunidade de jogar algumas partidas do game no Xbox One S e posso dizer tranquilamente que, embora nem tudo esteja perfeito, o jogo não está na situação calamitosa que muitos afirmam. Embora acredite que algumas pessoas tenham sofrido com crashes, não passei por essa situação em momento algum e consegui me divertir com as partidas online.

PUBGO game rodando no Xbox One S

Sim, há alguns problemas de quedas nas taxas de quadros e muitas texturas demoram um tempo considerável a carregar: algo muito fácil de perceber quando você acaba de pular do avião, por exemplo. Também é comum que a grama simplesmente vá “surgindo” conforme você se movimenta, e a distância de detalhes é bastante baixa, especialmente quando comparada ao PC.

No entanto, onde importa, PUBG está funcionando bem: a mesma experiência tensa vista no PC está intacta, e é fácil ficar com o coração batendo forte enquanto o mapa diminui e você ainda está vivo. Meus principais problemas foram em relação ao controle e certas decisões de interface (o gerenciamento de inventário é desastroso), e não ao desempenho do jogo em si.

onde importa, PUBG está funcionando bem: a mesma experiência tensa vista no PC está intacta

Isso quer dizer que PUBG é perfeito e não merece críticas? Muito pelo contrário, ainda há muito a melhorar (e os desenvolvedores reconhecem isso ao colocá-lo no Game Preview). No entanto, ao menos em minha opinião, não é o caso de dizer que a experiência está “imprestável” ou não merece a atenção de quem gostaria de jogá-la.

Também vale lembrar que, infelizmente, PUBG é um jogo muito mal otimizado nos computadores — característica que parece ter sido carregada para o Xbox One. Resta esperar que, ao menos no mundo dos consoles, o apoio da Microsoft se mostre o suficiente para os jogadores encontrarem em futuras atualizações o desempenho que merecem.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.