Voxel

Queda nas vendas de Call of Duty preocupa analista de mercado

Último Vídeo

Conhecida por quebrar recordes de venda a cada novo lançamento, a série Call of Duty parece finalmente ter atingido seu ponto de saturação. Em comparação com os capítulos anteriores da franquia, Ghosts tem apresentado um desempenho comercial substancialmente inferior, algo que tem surtido preocupações entre alguns analistas de mercado.

Em um comunicado oficial, a Activision divulgou que o título vendeu 19% a menos do que Black Ops 2 no mesmo período, algo que a empresa atribuiu à transição de gerações de consoles. No entanto, Doug Creutz, da Cowen, alerta os investidores de que os resultados podem ter sido ainda piores do que aqueles divulgados pela publicadora.

Desempenho decepciona, mas não preocupa

“Em uma reflexão mais profunda, acreditamos que os números são um pouco mais problemáticos do que foi divulgado inicialmente”, afirmou Creutz. Segundo ele, o fato de Call of Duty: Ghosts ter sido lançado duas semanas antes em relação à data em que Black Ops 2 chegou às lojas em 2012 deu ao título um período maior no mercado que não se refletiu em um resultado positivo de vendas no PlayStation 3 e no Xbox 360.

Segundo o analista, nem mesmo o lançamento do título para o Xbox One e o PlayStation 4 conseguiu compensar a queda de demanda vista nas plataformas atuais. “Não acreditamos que está fora de questão que o título tenha uma queda de 20% a 25% em comparação com Black Ops 2, o que é bastante pior do que a previsão de 10% a 15% que tínhamos antes”, declarou ele.

Apesar da queda no número de unidades vendidas, a série está longe de passar por dificuldades — Ghosts continua sendo o game mais vendido nos Estados Unidos durante o mês de novembro. No entanto, esperamos que isso sirva como um sinal para a Activision de que, por mais que o FPS continue tendo suas qualidades, apostar todo ano na repetição da mesma fórmula inevitavelmente pode acabar com a paciência e com a boa vontade dos consumidores.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.