Voxel

Reload Studios revela World War Toons, um FPS antenado na realidade virtual

Último Vídeo

Quem trabalha com jogos sabe que o setor de games pode ser bem volátil, com estúdios sendo comprados ou reformulados para se adequar às necessidades do mercado. Além disso, não é raro que desenvolvedores simplesmente resolvam apostar em projetos pessoais e acabem criando suas próprias empresas. Em julho do ano passado, alguns veteranos da indústria resolveram seguir esse caminho e fundar o Reload Studios. Agora, com alguns meses dedicados à produção, a companhia resolveu anunciar seu primeiro projeto: World War Toons.

Como o estúdio conta com nomes de peso com experiência em jogos de tiro e até alguns ex-integrantes da Infinity Ward – muitos deles ligados à franquia Call of Duty –, já era esperado que o novo projeto tivesse a temática de guerra e combates armados. Porém, a equipe do Reload Studios realmente se ateve ao objetivo que tinham traçado no meio de 2014 e desenvolveram World War Toons como um game que mistura FPS, combate de tanques e realidade virtual em uma ambientação cheia de humor – pendendo fortemente para a zoeira.

Quake + TF2 + VR + tanques = jogabilidade sob medida

Em um primeiro momento, a pegada do jogo parece ser algo como se Team Fortress 2 fosse transportado para a 2ª Guerra Mundial e recebesse uma dose adicional de explosões e efeitos visuais. A ideia é que o game se foque no aspecto multiplayer, oferecendo power-ups e habilidades especiais para apimentar ainda mais as batalhas entre times. Soa como algo divertido, não é? E esse parece ter sido o pensamento exato do pessoal que está ralando no desenvolvimento do título.

Sim, essa é uma captura da ação rolando em tempo real em World War Toons.

“Nosso objetivo é fazer algo divertido e acessível para todos. Estamos empolgados em apostar em coisas que ainda são novas para o meio”, explicou Pete Blumel, produtor executivo da empresa. O VRFocus conseguiu brincar um pouco com o game para fazer alguns testes e comprovou que o Reload Studios parece ter acertado a mão na utilização dos dispositivos de realidade virtual. Eles citam que os movimento de cabeça, comandos analógicos e a habilidade de mirar livremente criam um sistema de controle que “funciona incrivelmente bem”.

Tudo isso é inserido em uma ambientação e estilo de combate que fogem um pouco do que se encontra em jogos atuais como Call of Duty, se parecendo mais com as disputas da franquia Quake – que costuma ter partidas equilibradas e viciantes. O diferencial fica pela capacidade de entrar em um tanque e mostrar quem é que manda no campo de batalha, ganhando temporariamente mais vida, poder de fogo ampliado e maior velocidade de movimentação.

Produção de primeira e cheia de humor

Para criar a identidade visual de World War Toons, a empresa aliou uma engine capaz de gerar gráficos de qualidade com protagonistas que esbanjam um certo ar cartunesco. Ao que tudo indica, é preciso encontrar um ponto de equilíbrio entre o engraçado e o bobo, e a desenvolvedora tomou ciência disso. Como a caracterização dos personagens é algo que pode contribuir efetivamente para tornar tudo divertido, o Reload Studios não economizou no investimento e contratou profissionais do mercado de animação.

Os animadores ficaram responsáveis por criar o jeitão dos heróis e o modo como eles se comportam no game, e é possível conferir uma palhinha do trabalho deles no vídeo abaixo – se você não se incomodar com a gravação de alguém que, aparentemente, não tem a mínima ideia de como segurar um celular. Além disso, as imagens disponibilizadas no site oficial do jogo e em sua página do Facebook – que você pode ver na nossa galeria – mostram que a qualidade da produção é realmente alta, mesmo que o título ainda esteja no estágio Alpha de desenvolvimento.

Com noção de que nem todo mundo tem acesso a aparelhos como Oculus Rift, Gear VR e outros, os criadores de World War Toons já confirmaram que também haverá uma versão comum do game – pronta para ser jogada normalmente no seu monitor ou na sua TV. Apesar disso, a própria ousadia dessa aposta e a presença cada vez mais forte da Valve no mercado de realidade virtual, já começa a delinear o que veremos no futuro, ao mesmo tempo que expande os horizontes do entretenimento digital apoiado nessa tecnologia.

World War Toons segue sem data de lançamento de ou informações sobre plataformas suportadas, mas a jogatina tem toda a pinta de ser uma experiência única. Curtiu o anúncio do primeiro “filhote” do Reload Studios? Então, não esqueça de deixar sua opinião sobre a produção mais abaixo, na seção de comentários.

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.