Riot Games admite que estragou com a jungle de League of Legends

Riot Games admite que estragou com a jungle de League of Legends

Último Vídeo

A vida de um jungler não é fácil em League of Legends. Andar sozinho pela floresta escura, enfrentar monstros e escolher o momento certo para atacar o outro time são algumas das decisões que esses jogadores precisam tomar durante a partida. Com a recente atualização para a nova temporada, a Riot Games mudou algumas coisas nessa função e gerou polêmica aos fãs do MOBA, mas o estúdio soube reconhecer o que errou e agora está buscando consertar os problemas.

Em entrevista para a GameSpot, o designer Ryan “Morello” Scott citou as reflexões e consequências que mais determinaram nas mudanças. Em suma, o item principal para os caçadores sofreu uma leve queda de dano e agora requer ouro para trocar seus principais bônus, precisando que o jogador foque mais em uma determinada função: se tornar forte ou atacar a equipe inimiga.

Explicamos melhor a função do caçador no nosso tutorial para os novos jogadores de League of Legends. Visite o vídeo abaixo por sua própria conta e risco.

Para Morello, a intenção era dar menos espaço para os caçadores “afundarem” a partida. “Eu acho que há alguns grandes problemas para conversar. Eu ainda estou feliz que nós fomos nessa direção com a selva, mas isso só nos mostra que temos muito espaço para arrumar coisas”, iniciou o representante da Riot Games.

“Nosso objetivo era limitar o impacto que os caçadores tinham no começo do jogo, o que não é uma visão popular. Mas esta é uma boa decisão e eu ainda acredito nela”, comentou o designer.

“O problema é que nós não retornamos nada para o jungler. Algo como uma escala. Como eles têm um bom desempenho? Se falarmos ‘não acabe com as rotas e decida as coisas’, o que mais nós poderíamos dar em retorno? Eu acho que isso é muito válido: se você irá tirar nossas opções, o que ganharemos em troca?”, refletiu Morello.

Campeões problemáticos

O monge Lee Sin pode ser cego, mas ele sabe quando o perigo está por perto. E ele precisa se cuidar agora, pois quem está de olho nele é a própria Riot Games. “Lee Sin e Jarvan ainda são problemas”, comentou Scott. "Nós podemos fazer o que quisermos na selva mas, até nós consertarmos esses campeões, eles serão um problema que inclusive limitarão a diversidade adicional do jogo”.

“Então nós podemos fazer qualquer coisa na jungle e vocês continuarão escolhendo Lee Sin em quase todas as vezes, a menos que nós façamos algo que o impossibilite disso”, revelou.

“Os caçadores não estão tendo um bom momento na selva e, mesmo que nossa ideia original seja boa, não é suficiente apenas tirar isso do jogo. E há problemas dos campeões que se misturam com isso e tornam tudo ainda pior”, declarou o desginer do estúdio.

Se isso pareceu um alerta vermelho aos fãs do campeão, tenha certeza que não foi por acaso. Responsável por uma das jogadas mais incríveis no jogo, Lee Sin conta inclusive com um movimento em homenagem a um dos jogadores profissionais que mostrou tudo o que o personagem é capaz: o sul-coreano Choi "inSec" In-seok.

E foi com este campeão em vista que o representante da Riot Games finalizou seu discurso.“Como eu disse antes, Lee Sin é muito divertido. Zoar com as pessoas é legal, e Lee Sin é muito divertido por causa disso. Mas Lee Sin provavelmente não deveria apenas fazer isso”, comentou.

Ou seja: mais mudanças estão se aproximando para os caçadores de League of Legends. Algumas ameaças podem se centralizar também na campeã Nidalee, principalmente com tantos jogadores reclamando das doloridas lanças da caçadora.

Resta saber, no entanto, quais serão as “grandes vítimas” das próximas atualizações. Lancem suas apostas no “bolão do nerf”: monstros, itens ou... Lee Sin?

Você sabia que o Voxel está no Facebook, Instagram e Twitter? Siga-nos por lá.